Michael Martinez descobriu essa informação indiscreta no relatório do acordo sindical

A GM teve que enfrentar uma greve antes que pudesse chegar a um acordo com o UAW, entidade norte-americana equivalente a um Sindicato de trabalhadores no Brasil. Para evitar isso, Ford foi rápida em estabelecer um acordo provisório com o sindicato. De acordo com a CNBC, ele ainda precisa ser aprovado pelos líderes locais da UAW e depois pelos 55.000 membros da UAW na Ford.

O acordo proposto inclui US$ 6 bilhões em investimentos e a criação de 8.500 novos empregos. Mais do que isso, o plano também cita alguns dos investimentos. A fábrica de Dearborn produzirá a picape F-150 BEV, ou em termos mais simples, a versão 100% elétrica da F-150. E também a versão híbrida da caminhonete.

As informações vieram de um tweet de Michael Martinez, que você pode ver logo abaixo:

 

O jornalista da Automotive News revela que a UAW forneceu detalhes dos investimentos que o acordo propunha. Dearborn receberá US$ 700 milhões e produzirá não apenas as versões elétrica e híbrida do veículo mais vendido nos EUA. A fábrica também será responsável pela produção de baterias e pelo novo Raptor.

Entusiastas de veículos elétricos têm notícias mais emocionantes da indiscrição bem-vinda da UAW. Louisville terá versões PHEV do Escape e do Corsair, com um investimento total de US$ 100 milhões. Na unidade de Kansas City, após um investimento de US$ 400 milhões, será fabricado um totalmente novo Transit BEV.

Ford Transit PHEV

Se a CNBC estiver certa em relatar US$ 6 bilhões em investimentos, a imagem apresentada por Michael Martinez não revela todas as unidades e produtos incluídos no acordo. Se você somar tudo, terá um valor total de US$ 4,65 bilhões. Ainda há US$ 1,35 bilhão para aparecer em outro lugar, provavelmente em uma página que não aparece na foto.

Não vemos, por exemplo, nada sobre o SUV elétrico inspirado no Mustang que a Autocar diz ter o nome de Mach E. Talvez porque o dinheiro necessário para projetá-lo e produzi-lo já tenha sido investido. Ainda assim, a Ford sem dúvida colocará mais dinheiro nesse veículo e em suas iterações futuras.

Dos investimentos revelados, o maior deles acontecerá na fábrica de Michigan, que não tem nada de interessante para a multidão de veículos elétricos. Ela produzirá uma Ranger novinha em folha e o esperado Bronco. Gostaríamos muito de ver uma versão elétrica da última, mas o detalhamento da transação não é um. Os planos mudam, certo?