Nova versão tem autonomia de 260 km e custa o equivalente a R$ 87,9 mil com os benefícios

A renovação do Volkswagen e-Up! parece ter dado certo. A marca falou um pouco sobre as vendas de elétricos, dizendo que o mercado alemão para EVs está crescendo cada vez mais. E, para dar um exemplo, citou o desempenho do subcompacto no país e também do híbrido plug-in Passat GTE. O menor veículo da fabricante está indo tão bem que já é metade das vendas do carro no 1º trimestre.

De acordo com a Volkswagen, a versão elétrica do Up! já contabiliza cerca de 20 mil unidades encomendadas na Alemanha ao longo dos três primeiros meses de 2020. Ou seja, a cada dois pedidos do subcompacto, um é pelo e-Up!. Segundo a empresa, um dos motivos é o preço competitivo de 21.975 euros (R$ 123,3 mil), que cai para 15.405 euros (R$ 87,9 mil) com os benefícios oferecidos no país.

Galeria: Volkswagen e-up! 2020

O subcompacto elétrico passou por mudanças em novembro de 2019, quando a nova versão foi revelada. Ele recebeu baterias melhores de 32,3 kWh, aumentando a autonomia para 260 km, mas mantendo o motor elétrico de 83 cv. O modelo anterior tinha somente 160 km de autonomia, entregues pelas baterias de 18,7 kWh. Também é bem esperto. O motor de 83 cv e 21,4 kgfm ajuda o carro a acelerar de 0 a 100 km/h em 11,9 segundos, apenas um 1 segundo mais lento do que o Up! 1.0 TSI nacional. Se fossemos converter o rendimento de 12,7 kWh/100 km, o carro rodaria o equivalente a 58,3 km/litro.

Além de falar do e-Up!, a Volkswagen também comentou sobre o Passat GTE, dizendo que um a cada sete clientes do carro escolhem a versão híbrida plug-in. Sem falar os números de vendas, a marca diz apenas que o veículo está vendendo cinco vezes mais do que o modelo pré-reestilização. Há chances de que o Passat GTE seja um dos seis modelos eletrificados que a Volkswagen promete lançar no Brasil até 2023 – até o momento, o único lançado foi o Golf GTE.