Versão híbrida plug-in será exclusiva de modelos maiores, como o Golf

Apesar de estar passando por um processo de expansão e já figurar no portfólio de 5 diferentes modelos, a variante híbrida plug-in GTE não chegará ao catálogo do Volkswagen Polo. Conforme explica a imprensa europeia, a marca descartou o lançamento da novidade para evitar competição interna com o futuro ID.1, que ocupará posição de entrada na gama 100% elétrica da marca.

Tecnicamente, o Polo preenche todos os requisitos necessários para receber o conjunto PHEV. No entanto, a ideia é não incorrer em gastos duplos, tendo em vista que o ID.1 (cujo desenvolvimento consome consideráveis investimentos) já será responsável por cumprir o papel de compacto ecológico da marca.

Galeria: Volkswagen Polo 1.6 TDI (Europa)

Já nos segmentos superiores, a chegada da variante GTE é estratégica para a Volkswagen conseguir reduzir seus níveis de emissões na Europa. Em 2019, a marca atingiu média de 121,2 g/km - bem acima dos 95 g/km determinados pela União Europeia. Por exceder os limites, foi obrigada a arcar com multas pré-estabelecidas.

Um dos primeiros modelos a ganhar uma variante GTE foi o Passat. Na segunda metade do ano, serão ofertados os novos Golf GTE, Tiguan GTE e Arteon GTE, além da nova geração do Touareg R convertida em um poderoso híbrido plug-in. Internamente, há expectativa ainda sobre um inédito T-Roc GTE.