SUV elétrico da Lincoln e desenvolvimento do sistema de direção autônoma ficaram comprometidos

Após o anúncio da perda de mais de US$ 2 bilhões no primeiro trimestre de 2020, a Ford está colocando na geladeira os planos para o lançamento de um SUV totalmente elétrico da Lincoln. O principal culpado é a pandemia do coronavírus, que além de afetar as vendas e a distribuição, atrapalha os planos de desenvolvimento de novos produtos e tecnologias. 

Esta é a maior perda da marca do oval azul desde a recessão global de 2009 e implica na retirada de mais de US$ 15 bilhões de suas linhas de crédito e a projeção de perdas ainda maiores no segundo trimestre.

Realizado em janeiro deste ano, o anúncio da parceria com a Rivian tinha por objetivo o desenvolvimento de um SUV de luxo 100% elétrico da Lincoln."Dado o ambiente atual, Lincoln e Rivian decidiram não buscar o desenvolvimento de um veículo totalmente elétrico baseado na plataforma skate da Rivian", disse o porta-voz da marca.

Lincoln elétrico

O projeto de desenvolvimento conjunto do primeiro SUV elétrico da Lincoln que nasceu graças ao acordo com a Rivian foi suspenso. Na verdade, o projeto foi colocado na gaveta apenas pelas condições difíceis do momento. Isso não quer dizer que no futuro os planos não possam ser reativados, até porque a Ford é acionista da Rivian, graças ao aporte de US$ 500 milhões na empresa e que no futuro terá que entregar resultados.

Condução autônoma

Além do impacto na eletrificação dos veículos, o desenvolvimento do sistema de direção autônoma também fica comprometido. Na prática, isso significa o adiamento para 2022 (estava previsto para 2021) do lançamento comercial de veículos autônomos em colaboração com a Argo AI.

Fonte: TheDriven

Galeria: Ford Mustang Mach-E (Europa)