Tudo indica que a versão de produção será bem próxima disto

Bem, até que não demorou muito. Apenas alguns dias atrás, a Skoda soltou imagens oficiais de um exemplar do Enyaq camuflado e agora o pessoal talentoso do Kolesa removeu digitalmente o disfarce. Sua tentativa de tirar a maquiagem reforça nossa opinião de que o homólogo tcheco do Volkswagen ID.4 está mais para uma perua alta e encorpada do que para um SUV convencional.

É uma decisão que faz todo sentido para nós, considerando que o principal mercado do Enyaq será a Europa, onde ainda há uma forte demanda por peruas. A Skoda sabe disso melhor do que qualquer outra montadora, levando em consideração que o Octavia Combi é a station wagon mais vendida naquele continente. A marca de Mladá Boleslav também é uma das poucas empresas restantes a vender uma perua do porte do Fabia Combi, após a decisão da SEAT de eliminar o Ibiza ST do portfólio e o mesmo movimento da Renault para descontinuar a versão wagon do Clio.

Skoda Enyaq 2021 - projeção

A Skoda apresentará oficialmente o Enyaq ainda este ano e esperamos que a já anunciada variante RS também seja revelada. Estamos ansiosos para ver como o tratamento Rally Sport será aplicado a um veículo totalmente elétrico após ser introduzido no início deste ano em um modelo híbrido plug-in - o Octavia RS iV. Com 302 cv de potência (225 kW) de saída, o Enyaq no tempero RS se tornará o carro de produção mais poderoso da Skoda de todos os tempos e virá exclusivamente com motores duplos e tração nas quatro rodas.

A variante RS também também se tornará o carro mais caro da empresa na história, mas se você não precisar de toda essa potência, haverá quatro outras variantes e um total de três opções de bateria para escolher. A versão de entrada se contentará com um único motor e tração traseira, sinalizando assim o retorno dos saudosos Skodas de tração traseira após aproximadamente 30 anos.

Dependendo do tamanho da bateria e se o Enyaq possui um ou dois motores elétricos, a autonomia varia entre 340 quilômetros e 500 quilômetros com base no ciclo WLTP. O suporte para carregamento rápido significa que passar de 10% a 80% levará cerca de 40 minutos, o que não é bem razoável, considerando que a Skoda é no final das contas uma marca convencional.

A produção está programada para começar no final do ano, com as vendas tendo início somente em 2021.

Fonte: Kolesa