SVOLT inaugura nova fase no desenvolvimento de baterias para veículos elétricos

Enquanto a corrida pelo desenvolvimento de baterias mais eficientes para veículos elétricos segue em ritmo acelerado, a chinesa SVOLT anuncia o início da produção em massa das novas células livres de cobalto. Esse tipo de bateria promete reduzir o custo de produção e obter importante ganho em eficiência e durabilidade. 

Durante o evento de lançamento, o presidente da SVOLT, Yang Hongxin, anunciou que as novas células sem cobalto denominada L6 tem muitas vantagens como vita útil mais longa (1,2 milhão de quilômetros ou 15 anos), maior segurança e maior densidade de energia. O executivo também disse que a nova bateria está sendo adaptado ao um modelo topo de linha da fabricante Great Wall, apontado pela imprensa local como sendo o SUV de luxo WEY P8.

Galeria: Wey P8

Em termos de funcionamento, essas células são organizadas em um pacote (pack), que a empresa chama "conjunto de matrizes". Isso ajudaria o conjunto a atingir uma proporção de peso de 80%, favorável ao aumento de densidade de energia. Esse arranjo também ajuda a melhorar o sistema de gerenciamento térmico.

SVOLT - bateria sem cobalto

Disponível em duas variantes, em sua versão mais potente oferece 226 Ah e proporciona autonomia de 880 quilômetros com uma única carga. Vale lembrar que o número é estimado pelo ciclo utilizado na China, que segue o padrão NEDC, sendo que no ciclo WLTP (mais realista) são estimados cerca de 800 km, ainda assim um resultado bem interessante e muito à frente do Tesla Model S Long Range, que atinge 660 km neste último padrão.

Com planos ambiciosos, a SVOLT pretende lançar a nova bateria no segundo semestre de 2020. Desde o ano passado a empresa tem concentrado seus esforços em ampliar os negócios na Europa, o que inclui o processo de escolha de um local para uma nova fábrica de baterias no Velho Continente, orçada em US$ 2.240 milhões e com capacidade máxima de 24 GWh por ano.