Elon Musk já está utilizando o sistema em seu próprio carro.

  • A Tesla irá disponibilizar o "Full Self-Driving" para um grupo de proprietários de carros da marca
  • Em um segundo momento a condução autônoma total estará disponível para todos

Elon Musk não tem medo de chamá-lo de "salto quântico", ou seja, um salto no tempo. Na verdade, a próxima atualização do Autopilot não é apenas uma evolução do sistema existente: foi redesenhado do zero.

O novo sistema, denominado "Full Self-Driving", já havia sido anunciado. Agora, o número um da Tesla foi mais preciso sobre a data de lançamento, que deve acontecer de 6 a 10 semanas. A corrida também pode ter sido acelerada em função da proximidade de estreia do Lucid Motors, que promete igualmente a vanguarda da assistência de condução.

Galeria: Tesla Autopilot

A direção autônoma é uma realidade

A nova arquitetura de software não só trará consigo muitas funções inéditas, mas permitirá introduzir atualizações e implementações futuras em muito menos tempo. O interessante é que uma versão deste novo piloto automático já está funcionando em um Tesla. Adivinha qual...

Exatamente, o de Elon Musk. Musk disse: "Eu testei pessoalmente a versão alpha do novo software, que foi instalada no meu carro. Quase não precisei intervir nos controles durante todo o trajeto de casa para o trabalho. É algo que vai além das expectativas e do imaginário coletivo"

Esperando pela versão beta

Achamos que os fãs do Tesla mal podem esperar para baixar a atualização do software. Mas há um porém. No mesmo comunicado, Musk afirmou ainda que o lançamento do novo software ocorrerá de forma gradual e que inicialmente será disponibilizado a um número limitado de clientes.

Isso significa que um pequeno grupo de proprietários de modelos Tesla receberá a versão Beta do piloto automático (que segue o Alpha que por enquanto é testado somente por Elon Musk) e será usado por algum tempo para ajudar os engenheiros da empresa de Palo Alto a torná-lo mais estável e confiável. Para os demais, os prazos devem ser um pouco mais longos.

Elétricos, a direção autônoma também os tornará mais eficientes?

O cérebro dos robôs-táxis

Enquanto isso, os primeiros testes deram mais do que resultados positivos. Aparentemente, o novo sistema de assistência à condução consegue se deslocar no trânsito com bastante naturalidade, reagindo bem mesmo diante de canteiros de obras e desvios de percurso.

É a partir desta inovação que se concretiza o ambicioso projeto da frota de um milhão de robotáxis autônomos que Musk anunciou em 2019 durante o Battery Day e que pretende começar a colocar em prática (ou melhor, na rua) já a partir do final de 2020.