Joint venture “Automotive Cells Company” conta com o apoio das autoridades francesas e alemãs.

O Grupo Peugeot-Citroën e a Total/Saft criaram oficialmente a joint venture Automotive Cells Company (ACC), anunciada no início de 2020 como um movimento essencial para garantir o fornecimento de baterias de íon-lítio para carros eletricos na Europa. A produção está prevista para começar em 2023. 

A parceria irá funcionar com o Total/Saft fornecendo apoio em P&D e industrialização, e a PSA com seu conhecimento do mercado automotivo e experiência na produção em grande escala. A nova empresa já iniciou as atividades para permitir o desenvolvimento de novas tecnologias de células lítio-íon de alto desempenho.

Galeria: Citroen ë-C4

Após esta fase inicial de pesquisa e desenvolvimento, a produção em série está prevista para ser lançada em duas "GigaFactories", em Douvrin, na França, e depois em Kaiserslautern, na Alemanha.

Este projeto visa:

  • Responder aos desafios da transição energética, reduzindo a pegada ambiental dos veículos em toda a cadeia de valor, com o objetivo de oferecer uma mobilidade limpa e acessível aos cidadãos.
  • Produzir baterias para veículos elétricos com o melhor nível tecnológico em termos de desempenho energético, autonomia, tempo de carregamento e pegada de carbono.
  • Desenvolver uma capacidade de produção essencial para acompanhar o crescimento da demanda por veículos elétricos em um mercado europeu estimado em 400 GWh até 2030, ou seja, 15 vezes o atual.
  • Assegurar a independência industrial da Europa tanto para a concepção quanto para a fabricação de baterias, com uma capacidade inicial de 8 GWh, atingindo uma capacidade cumulativa de 48 GWh até 2030 nas duas unidades de produção. Isso corresponderá à produção de 1 milhão de veículos elétricos por ano, ou seja, mais de 10% do mercado europeu.
  • Posicionar a ACC como um grande competidor no abastecimento dos fabricantes de veículos elétricos.

Também fazem parte do projeto o apoio financeiro dos governos francês e alemão, no montante de 1,3 bilhão de euros. Teve a conformidade aprovada pelas instituições europeias por meio de um projeto do IPCEI (Important Project of Common European Interest), o que reforça sua importância estratégica na transição para a mobilidade elétrica. O projeto todo mobilizará como um todo um investimento superior a 5 bilhões de euros.

Carlos Tavares, Presidente Mundial do Groupe PSA, afirmou: 

“A construção do consórcio europeu de baterias que desejávamos é agora uma realidade. Gostaria de prestar uma homenagem especial ao empenho das equipes Total/Saft e Groupe PSA/Opel, que fizeram com que este projeto se concretizasse. Este novo passo está de acordo com a nossa razão de ser: “oferecer aos cidadãos uma mobilidade limpa, segura e acessível” e dá ao Groupe PSA uma vantagem competitiva no contexto de vendas crescentes de veículos elétricos. A ACC leva o Groupe PSA ainda mais longe no caminho para a neutralidade de carbono. "