Empresa afirma que o sistema desenvolvido em colaboração com a Analog Devices, Inc. será uma inovação no segmento.

Logo na sequência do anúncio desta semana de que a GM está adquirindo uma participação de 11% na startup de veículos elétricos a hidrogênio Nikola, a empresa norte-americana tem ainda mais informações sobre os futuros carros elétricos para compartilhar. 

A GM divulgou um comunicado onde explica sobre o próximo sistema de gerenciamento de bateria sem fio (wBMS), que afirma ser o primeiro da indústria. O wBMS, desenvolvido com a Analog Devices, Inc., permitirá fornecer energia a uma variedade de veículos elétricos por meio de um "conjunto comum de componentes de bateria". A empresa diz que também permitirá que a empresa coloque novos carros elétricos no mercado mais rapidamente. O comunicado à imprensa explica:

"... não será necessário tempo para desenvolver sistemas de comunicação específicos ou redesenhar esquemas de fiação complexos para cada novo veículo. Em vez disso, o wBMS ajuda a garantir a escalabilidade das baterias Ultium em toda a futura linha da GM, abrangendo diferentes marcas e segmentos de veículos, desde caminhões pesados ​​para veículos de desempenho. "

Galeria: Fábrica do Chevrolet Bolt - GM Orion Plant

A GM já trabalhou para tornar suas baterias Ultium flexíveis, o que significa que ela pode alterar facilmente a química com o tempo. Adicionar o wBMS permitirá que suas baterias "recebam facilmente novos recursos conforme o software se torna disponível". O sistema também poderá receber atualizações de software via OTA.

O diretor executivo da GM de Sistemas de Eletrificação e Bateria Global, Kent Helfrich, compartilhou:

“Escalabilidade e redução de complexidade são um tema com nossas baterias Ultium - o sistema de gerenciamento de bateria sem fio é o habilitador crítico dessa flexibilidade incrível. O sistema sem fio representa o epítome da configurabilidade do Ultium e deve ajudar a GM a construir EVs lucrativos em escala."

O sistema avançado será capaz de conduzir suas próprias verificações de integridade da bateria em tempo real e equilibrar a química em grupos de células individuais. Além disso, reduz a fiação em até 90%, o que leva a veículos mais leves com estimativas de autonomia elétrica maior. Também cria um espaço adicional dentro de um veículo. Finalmente, o wBMS "oferece uma capacidade única de reaproveitamento para reutilização de baterias em aplicações secundárias mais facilmente do que os sistemas convencionais de monitoramento com fios".

A GM diz que o wBMS será item de série em todos os veículos alimentados com as baterias Ultium, o que faz com que pareça que também equipará a picape elétrica Nikola Badger. No entanto, essa informação não consta no comunicado de imprensa atual.