União Europeia irá monitorar o consumo e as emissões desses veículos a partir de 2021.

Um dos principais atrativos dos atuais carros híbridos plug-in é o excelente consumo divulgado pelos fabricantes. Nos lançamentos recentes são comuns números entre 40 e 50 km/l com alguns modelos atingindo patamares de 60 e até 70 km/l, o que é impressionante diante de uma realidade de carros com motores exclusivamente a combustão com uma faixa que somente agora começa a superar o patamar de 20 km/l. 

No entanto, a União Europeia tem acompanhando há um tempo os números declarados de consumo e emissões de CO2, afirmando que eles são impraticáveis em muitos casos. Como sempre dissemos aqui, para que esses resultados de eficiência e consumo sejam alcançados é necessário que a bateria esteja sempre carregada. 

Galeria: Volkswagen Golf eHybrid

E a grande novidade nisso é que a partir de 2021 o governo da União Europeia irá acompanhar o consumo e as emissões reais de todos os veículos da região por meio de um sistema de monitoramento instalado nos carros. As autoridades querem se certificar que as emissões declaradas pelas montadoras são reais. 

Sinal de alerta

Esse novo sistema de controle acendeu a luz de alerta para as montadoras, principalmente no caso dos híbridos plug-in, uma vez que se os proprietários usarem exclusivamente o motor a combustão o consumo desses veículos no mundo real pode ser até 10 vezes maior do que o homologado pelo padrão WLTP. Além dessas falhas do protocolo de homologação, o estilo de condução dos proprietários também é algo que os fabricantes não têm como interferir.

Volkswagen e-up! - carregamento

Para piorar, a imprensa europeia relata que muitos dos compradores mais recentes de híbridos plug-in não estão nem um pouco preocupados com as emissões e adquirem esse tipo de veículo motivados pelas vantagens fiscais e descontos por conta do rótulo ecológico. 

Caso os dados de emissões ultrapassem os limites estabelecidos (com uma margem de variação permitida), as empresas poderão ser penalizadas com multas elevadas. O sistema deve ser completamente anônimo e invisível para o proprietário mas enviará também informações como distância percorrida e velocidade média que serão reportados pelo novo software ao longo da vida útil do veículo. 

Considerada polêmica, tanto pelas montadoras, que veem um controle de algo que está fora do seu alcance (principalmente no caso de híbridos plug-in) como pelos europeus, que enxergam uma possível violação da regra que protege o anonimato, a nova legislação entrará em vigor em janeiro de 2021 e inclui todos os veículos movidos a gasolina, diesel, etanol e eletricidade (excluindo os movidos a GLP e GNV). E agora foram incluídos os híbridos plug-in, que até o momento estavam liberados desse tipo de controle. 

Fonte: HibridosyElectricos