Variante híbrida plug-in do SUV está disponível em versões de 381 cv e 462 cv

Apesar da ênfase nos carros elétricos com a linha e-tron, a Audi continua apostando em outras opções de eletrificados. Do hatch A3 Sportback ao SUV Q8, a família de híbridos plug-in da marca alemã continua a crescer. E falando aqui do SUV mais exclusivo da gama, estão chegando ao mercado europeu duas versões: o Audi Q8 55 TFSIe quattro, com 381 cv de potência, e o Audi Q8 60 TFSIe quattro, com 462 cv. 

Ambas as variantes utilizam o sistema composto pelo motor 3.0 V6 TFSI turboalimentado, com 340 cv de potência e 45,9 kgfm de torque conjugado com um propulsor elétrico, que desenvolve até 136 cv. O conjunto está associado a transmissão automática tiptronic com oito velocidades. 

Galeria: Audi Q8 TFSI e quattro (2020)

Dessa forma, a versão menos potente com 381 cavalos e 61 kgfm de torque acelera de 0 a 100 km/h em 5,8 segundos e atinge velocidade máxima de 240 km/h. Enquanto isso, a variante mais forte com 462 cavalos e 71,1 kgfm cumpre a tarefa em 5,4 segundos e tem a mesma velocidade final.

A bateria de íon de lítio não é a mesma do homônimo Q7, embora este SUV irá começar a usá-la em breve. O novo conjunto de baterias tem uma capacidade de 17,8 kWh (0,5 a mais que o anterior), refrigeração líquida, é mais compacto e pesa cerca de 40 quilos a menos.  

O sistema de tração integral permanente quattro usa um diferencial central regulado mecanicamente. Em condições normais de aderência, ele distribui a força mecânica na proporção 40/60, embora o eixo dianteiro possa receber até 85% do torque e o eixo traseiro até 70% em casa de perda de tração.

Audi Q8 TFSI e quattro (2020)

Quanto à autonomia no modo elétrico, o Q8 55 TFSIe quattro está homologado para 47 quilômetros com zero emissões, enquanto o Q8 60 TFSie quattro se mantém em 45 quilômetros. Em ambos os casos, a velocidade máxima sem o acionamento do motor V6 é de 135 km/h. 

Ambos os SUVs perdem uma parte da capacidade do porta-malas devido ao acréscimo da bateria. Assim, em vez de 605 litros (1.755 com os bancos traseiros rebatidos), passa a ter 505 (1.625). Eles também são mais pesados ​​do que as versões a combustão equivalentes. 

Audi Q8 TFSI e quattro (2020) - painel

O Audi Q8 TFSIe quattro 2020 sempre dá a partida e inicia a condução no modo elétrico EV. Ao rodar completamente em silêncio, o carro emite um som de alerta para pedestres e outros usuários na via.

Por sua vez, a condução híbrida possui três modos: Auto, Hold (manter a carga da bateria) e Charge (recarregar a bateria). Se o condutor tirar o pé do acelerador, o Assistente de Eficiência decide se deixa o carro em modo de navegação ou se aplica essa pressão para recuperar a potência e carregar a bateria em desacelerações e frenagem. 

O controle dinâmico de direção Audi drive select oferece os seguintes programas: Comfort, Efficiency, Auto, Dynamic, Individual, Offroad e Allroad. E quando se trata de carregar a bateria, a capacidade máxima é de 7,4 kW, o que significa um tempo aproximado de 2 horas e 30 minutos para a tarefa.

Os modelos Audi Q8 híbridos plug-in já têm preços estipulados para a Espanha a partir de 86.000 euros (R$ 565.300) para o 55 TFSIe quattro e de 96.700 (R$ 635.660) para o 60 TFSIe quattro - em uma conversão direta, sem considerar o poder de compra entre moedas, é um valor mais alto que o cobrado no Brasil pelo modelo 100% elétrico e-tron SUV, que parte de R$ 491.990.

O pacote S Line é de série, assim como os faróis LED Matrix, suspensão a ar adaptável, rodas de liga leve de 21" e pinças de freio vermelhas.