Para evitar isso, terá que dominar o desenvolvimento de software

Herbert Diess admite que saber construir automóveis é apenas uma pequena parte do negócio hoje em dia. Toda a experiência que a Volkswagen adquiriu nessa habilidade ao longo de décadas não é suficiente quando você tem que construir carros elétricos e esses veículos precisam se conectar à internet. Isso é o que o smartphone fez pelos telefones celulares. Diess definitivamente não quer que sua empresa seja uma nova Nokia, como disse à Bloomberg.

A entrevista com o CEO do Grupo Volkswagen aconteceu uma semana antes de seu Conselho Fiscal se reunir para discutir as despesas. Segundo Diess, a montadora sabe que tem que discutir a pandemia COVID-19 no curto prazo e as mudanças climáticas no longo prazo.

Galeria: Volkswagen ID.4 - imagens oficiais

O aquecimento global está levando os carros a se tornarem elétricos, mas devemos acrescentar que esse não é o único motivo. Em um mundo onde a eficiência energética aumenta sua importância para se tornar vital, desperdiçar 60% dessa energia queimando combustível dentro dos motores não faz mais sentido.

Diess sabe disso e está confiante de que ajudou a preparar a Volkswagen para o que está por vir da melhor maneira possível. Segundo ele, o Conselho Fiscal irá discutir estratégias para os próximos quatro a cinco anos. Considerando que a Europa será um pólo de carros elétricos, ele acredita que a Volkswagen é uma das empresas mais preparadas para essa mudança.

Ícones de mídia social no smartphone

Para a montadora alcançar esse objetivo, ela deve se preocupar em ir além de fabricar veículos movidos a eletricidade. O CEO acredita que eles precisam estar efetivamente integrados à internet, assim como os smartphones propostos quando o primeiro iPhone apareceu. Levar as pessoas a lugares e carregar coisas será apenas parte da missão - tanto quanto fazer ligações não seja o objetivo principal de um smartphone.

Para chegar lá, a Volkswagen pretende desenvolver seu próprio sistema operacional e "dá-lo a outras parceiros". É mais uma abordagem do Android do que da Apple. A Hon Hai (Foxconn) se propõe a fazer a mesma coisa, o que mostra que as montadoras não vão competir apenas com empresas semelhantes nesta revolução do transporte.

A Tesla poderia ser considerada a primeira 'de fora' em um mercado tão tradicional, e Diess a classifica como um "concorrente muito importante" porque já possui recursos que a Volkswagen agora está disposta a desenvolver. De qualquer forma, o CEO disse que "a batalha pela liderança de mercado" quando se trata de veículos elétricos ainda está em aberto. Pelo menos Diess sabe o que a Volkswagen precisa alcançar para desafiar o líder atual.

Fonte: Bloomberg

Galeria: Volkswagen ID.3 (2020) - impressões ao dirigir