Primeiro veículo elétrico em série da marca estreia inicialmente no Japão e pode chegar a outros mercados

Ouvimos pela primeira vez rumores de um Yamaha e-Vino em 2018, mas seu fabricante sediado de Iwata tem sido bastante discreto no que se refere a veículos elétricos - até agora. Avançando para 14 de outubro de 2020, o EV (abreviatura muito inteligente, Team Blue) fez sua estreia oficial no Japão.  

Sem bateria, o novo scooter elétrico e-Vino pesa apenas 68 kg. Adicione a bateria de íon de lítio de 50 V e isso representa um aumento de apenas 6 kg. Tem estilo retrô e é leve, o que parece potencialmente atraente para novos pilotos que nunca colocaram a perna por cima de uma scooter (ou moto) antes. 

Galeria: Yamaha e-Vino

É claramente um veículo urbano de pequeno alcance, que chega a 50 km/h de velocidade máxima e tem autonomia de apenas 29 quilômetros (58 km com uma bateria sobressalente opcional). O tempo de carregamento é de cerca de três horas usando uma tomada japonesa padrão. Esse tempo parece razoável se você estiver se deslocando entre trabalho/escola e casa, já que provavelmente ficará em todos esses lugares mais do que as três horas que ela demora para recarregar.  

Ângulo branco do lado direito da Yamaha E-Vino
Monitor Yamaha E-Vino

O display LCD é claro e agradável. Quantas outras scooters elétricas permitem que você saiba que está com pouca energia por meio de uma luz de tartaruga? Embora possa não ser exatamente um argumento de venda para esta scooter, não há como negar que é uma vantagem na compra. Você também obtém um modo Standard e um modo Power, e há uma função Boost que aumenta a potência por 30 segundos para ajudá-lo a encarar as ladeiras. Não está claro qual efeito o Boost tem na vida útil da bateria, no entanto. 

O preço de tabela é de 259.600 ienes ou cerca de R$ 13.000 em uma conversão direta. Também existe um subsídio para veículos elétricos do governo japonês para o qual o e-Vino se qualifica, que economizará cerca de (R$ 1.300) para os proprietários se cumprirem certas condições. Para se qualificar, um veículo deve ser apenas para uso pessoal, deve ser o primeiro elétrico que uma pessoa comprou e deve ser mantido na propriedade dessa pessoa por pelo menos três anos.  

Apenas como referência, trata-se de um preço equivalente um tanto mais elevado em comparação com a Voltz EV1 vendida no Brasil, um scooter elétrico de 1,8 kW que vai a 60 km/h e pode rodar 50 km com uma carga pelo preço de R$ 9,5 mil (uma versão com autonomia de 100 km chegará por R$ 11,5 mil). 

Aqui está a reviravolta 

Normalmente, esta é a parte em que eu diria que ele só foi lançado no Japão, e não temos ideia de quando ou se será lançado em outro lugar. É também onde eu diria que podemos facilmente vê-lo sendo lançado em outros lugares onde as scooters elétricas estão ganhando popularidade, como Taiwan. Talvez alguns outros países asiáticos também, mas não podemos dizer com certeza etc. 

Patente Yamaha Scooter Elétrica Lado Esquerdo

No entanto, graças a um pedido do Instituto Europeu de Patentes apresentado em 2018 e publicado em 4 de novembro de 2020, temos motivos para suspeitar que o e-Vino pode eventualmente chegar à Europa. Obviamente, tal aplicação não é garantia de que isso acontecerá - mas pelo menos nos diz que a Yamaha estava, em um algum momento, considerando isso seriamente o suficiente para manter suas opções abertas.  

Também sabemos que a Yamaha está testando a tecnologia de bateria que pode ser trocada, desenvolvida em conjunto com a Honda, Kawasaki e Suzuki em setembro de 2020. Dado o momento do lançamento do e-Vino, ele claramente não apresenta essa nova tecnologia, mas não há razão para pensar que pode não aparecer em um redesenho futuro, bem como em veículos de duas rodas elétricos que eventualmente cheguem ao mercado.