Modelo que estreia nos EUA em 2021 se destacou pelo consumo moderado de energia

Recém-apresentado e com lançamento adiado nos Estados Unidos, o Volkswagen ID.4 teve a autonomia de 402 km oficialmente certificada pela agência ambiental norte-americana EPA para as versões edição limitada 1ST e Pro S. Vale lembrar que o SUV elétrico está equipado com uma bateria de 82 kWh (77 kWh utilizáveis).

De acordo com a EPA, também foi apontado um consumo de energia da ordem de 97 MPGe ou 216 Wh/km, o que é número bastante sólido, considerando que se trata de um SUV/crossover. O que mostra que a Volkswagen fez um belo trabalho no desenvolvimento de sua plataforma modular MEB.

imagem_externa

Galeria: Volkswagen ID.4 - imagens oficiais

Classificação do Volkswagen ID.4 Pro S 2021 - EPA:

  • autonomia de 250 milhas (402 km)
  • consumo de energia (incluindo perdas de carga):
    • combinado: 97 MPGe - 216 Wh/km
    • urbano: 104 MPGe - 201 Wh/km
    • rodovia: 89 MPGe - 235 Wh/km

Para comparação, o Tesla Model Y na versão com tração integral (que não é um concorrente direto, mas sim um exemplo de eficiência de última geração) tem 30% a mais de autonomia EPA - 525 km - e consumo de energia combinado 22% menor - 168 Wh/km. É claro que estamos falando de um carro mais equipado, esportivo e caro (cerca de US$ 10.000 a mais com base no preço padrão e US$ 17.775 efetivos, deduzindo o crédito tributário federal).

Modelo Preço base Frete Taxa de crédito Preço Efetivo
Volkswagen ID.4 Pro S 2021 US$ 39.995 + $ 920 US$ 7.500 US$ 33.415 (R$ 177.700)

Além disso, o Volkswagen ID.4 deve ser um grande competidor no segmento principal, onde é esperado um grande volume de vendas. O Kia Niro EV (e-Niro), que é um pouco mais barato, oferece 385 km de autonomia EPA (4,4% menor) e consumo de energia combinado de 187 Wh/ km - 13% melhor do que ID.4.

Já o rival mais direto Ford Mustang Mach-E consegue percorrer 434 km com uma carga segundo os dados que foram vazados nos últimos dias. No entanto, o SUV elétrico da Ford possui uma bateria de 88 kWh na versão com tração traseira e autonomia estendida que na prática se reflete em uma eficiência um pouco mais baixa que a do VW.