Divisão duas rodas também aposta na eletrificação e garante que modelos virão ao país

A BMW é uma das marcas premium com mais projetos em termos de mobilidade elétrica para os próximos anos. E para divulgar um pouco dessas novidades, a empresa usou a recém-criada plataforma digital Next Brasil, para nos dar uma prévia dos rumos que a marca irá tomar em termos de eletrificação e tecnologia. 

E desta vez o assunto é a divisão BMW Motorrad, que também promete não ficar de fora da eletrificação e comenta até sobre motos elétricas para o Brasil. Em uma breve fala, o Diretor de Vendas e Marketing da BMW Motorrad Brasil, Julian Mallea, afirmou:

"A eletrificação é uma realidade e a BMW Motorrad, como marca de inovação, não pode ficar de fora. Então, o Grupo está desenvolvendo novos produtos que em breve chegarão no mercado brasileiro".

Galeria: BMW Motorrad Definition CE 04 (2021)

Ainda não sabemos muitos detalhes sobre os projetos de motocicletas elétricas da BMW, a não ser por alguns conceitos apresentados nos últimos anos, mas que ainda estão em fase de testes e desenvolvimento. 

No entanto, a marca mostrou no início de novembro um conceito bem interessante que na prática é quase uma versão de produção que antecipa a primeira scooter elétrica da BMW Motorrad.

Chamado de BMW Motorrad Definition CE 04, o estudo esteve presente na última exposição interna #NEXTGen 2020. O fabricante descreve o scooter elétrico nas seguintes palavras: "Como um elo entre o mundo analógico e digital do usuário, o BMW Motorrad Definition CE 04 é um meio de transporte e comunicação para os passageiros urbanos."

BMW Motorrad Definition CE 04 (2021) - scooter elétrico

Com propulsão elétrica, design voltado para o futuro e soluções de conectividade inovadoras, o CE 04 rompe claramente com o visual dos scooters anteriormente conhecidos e possui uma bateria alocada na parte inferior do quadro e uma nova solução de espaço de armazenamento com dobradiças laterais e iluminada, que permite ao motociclista fácil acesso ao capacete com um compartimento lateral. 

Pensada para deslocamentos curtos, de cerca de 12 km por dia, segundo a marca, o scooter elétrico aposta mais em ergonomia, acessibilidade e tecnologia do que em conforto de longa distância. O banco flutuante que pode ser deslizado é destaque e oferece ergonomia aprimorada para condutores de diversas estaturas, bem como o quadro de instrumentos digital de 10,4", o maior do segmento.  

Com a boa receptividade sobre o scooter elétrico, é aguardar os próximos passos e as novidades da BMW em termos de eletrificação em duas rodas, que agora sabemos que num futuro próximo também estarão disponíveis por aqui.