Com proposta urbana, subcompacto tem condução autônoma nível 3 e autonomia de 250 km

Os carros elétricos estão se expandindo, e não apenas na China, ao que parece. E desta vez é a empresa russa Kamaz, em conjunto com a Politécnica de São Petersburgo, que vem a público mostrar a sua alternativa para o segmento. Chama-se Kama-1 e é um veículo de três portas e 4 lugares, que segundo as declarações da empresa está pronto para entrar em produção.

O projeto foi lançado em dezembro de 2018 e, em particular, atingiu a fase do modelo de pré-produção industrializada, que pretende bater de frente com o "clássico" carro de baixo custo asiático.

Até 250 km de autonomia

O Kama-1 deve ser equipado com bateria de íon-lítio de 33 kWh que garante autonomia de 250 km. Será impulsionado por um motor com potência suficiente para o porte do carro, capaz de entregar cerca de 110 cv. Graças a este trem de força, o carro urbano deve acelerar de 0 a 100 em 6,7 segundos e atingir uma velocidade máxima de 150 km/h.

Galeria: Kamaz Kama 1 - carro elétrico russo

  • Bateria: 33 kWh
  • Carregamento: 6 horas (DC); 20 minutos (AC, a 50 kW)
  • Autonomia: 250 km
  • Potência máxima: 110 cv

Olhando pelas dimensões externas verifica-se que o Kama-1 tem 3,67 metros de comprimento, 1,7 metro de largura e 1,6 metro de altura, com uma altura do solo de 16 cm, um pouco elevada mas eficaz para evitar impactos desagradáveis ​​contra a bateria, montada sob o assoalho, ao rodar nas estradas difíceis da Rússia.

Como um 500 elétrico?

O carro, como mencionado, não é proposto como um impulso de baixo custo e além do excelente desempenho, ele terá uma lista de equipamentos bem recheada. Terá faróis e lanternas de LEDs  e, por dentro, um moderno sistema de informação e entretenimento com um monitor 9" curiosamente centralizado no volante. O carro elétrico urbano também será equipado com sistemas de assistência ao motorista de Nível 3, embora na Europa apenas o Nível 2 ainda seja permitido.

Design à parte, porque o Kama-1 é muito quadrado, o carro quase parece uma interpretação soviética do Fiat 500 elétrico. Ou melhor, o carrinho elegante e cheio de estilo, além de emissões zero. Possui interior em couro e controles de toque também na parte externa, para abrir o porta-malas e o compartimento do motor.

O preço esperado (que não será tão baixo como no caso do igualmente russo Zetta), é um verdadeiro divisor de águas para o sucesso de muitos carros desse tipo, mas a revolução elétrica não deixa ninguém indiferente, nem mesmo a Rússia, que com carros em bateria poderia fazer renascer uma tradição automotiva que nunca se recuperou de verdade após o colapso da União Soviética.