Custo de produção das células deve continuar em queda nos próximos anos, favorecendo a disseminação dos carros elétricos

Fundamental para a disseminação dos carros elétricos, uma bateria que tenha seu custo de produção cada vez mais baixo vai se tornando realidade ano após ano. Um estudo divulgado pela Agência Internacional de Energia (IEA), analisou detalhadamente a evolução do preço das baterias por mais de uma década e chegou a conclusões animadoras. 

Com o custo de produção em queda constante, as células mais baratas são as principais responsáveis pelo rápido crescimento nas vendas de carros elétricos nos últimos 10 anos, tornando-os uma alternativa real frente ao mundo ainda dominado pelos veículos movidos a combustão.  

Galeria: Polo de desenvolvimento de baterias da Volkswagen

De acordo com o levantamento da agência, o custo de uma bateria em 2016 era de US$ 293,4 por kWh, sendo que em 2019 o preço já havia caído para US$ 156/kWh - R$ 1.492 e R$ 794, respectivamente.

Considerando ainda a redução acumulada em 2020, estima-se um valor próximo da ordem de 50% em apenas 5 anos. Apenas para ilustrar o quanto esse custo já caiu, em 2010 o custo por kWh era de nada menos que US$ 1.182 (R$ 6.019). 

Os mega investimentos na produção de baterias aliados à chegada das grandes montadoras globais ao mercado de veículos elétricos devem continuar forçando a queda do custo do componente nos próximos anos. Graças à isso, estudos apontam que por volta de 2024 o custo de produção de um carro elétrico iguale o de um carro com motor à combustão. 

Fonte: FCO