A empresa pretende recuperar mais de 90% das matérias-primas para a produção de novo material

Escolher um carro elétrico significa investir na mobilidade do futuro. Ecológico, silencioso e reciclável. Se até o mais cético em relação aos dois primeiros adjetivos teve que mudar de ideia, em termos de reciclagem a velha questão permanece em aberto: o que acontece com as baterias após dez anos de uso? Como elas podem ser descartadas?

Para responder a esta pergunta, a Volkswagen concentrou seus esforços na fábrica de Salzgitter na Baixa Saxônia, onde as baterias que não podem mais ser usadas para outros fins (por exemplo, como armazenamento estacionário na segunda vida) podem ser recicladas. Um projeto piloto criado para tornar a indústria de mobilidade elétrica cada vez mais circular e sustentável. Tal como a União Europeia deseja.

Galeria: Volkswagen: projeto piloto de reciclagem de baterias

O círculo fecha

O local permitirá a recuperação industrializada de matérias-primas críticas como lítio, níquel, manganês e cobalto, mas também de materiais extremamente flexíveis como cobre e plástico. Numa primeira fase, vai reciclar até 3.600 sistemas de baterias por ano, num total de aproximadamente 1.600 toneladas do produto.

No longo prazo, a Volkswagen pretende atingir uma taxa de reciclagem de 90%. Uma meta ambiciosa que muitos fabricantes de automóveis e outras empresas almejam. Entre as realidades mais famosas do ramo está também a Redwood Materials fundada por JB Straubel, ex-fundador da Tesla. Por outro lado, ser capaz de reciclar todos os componentes de uma bateria significa não apenas reduzir o impacto ambiental de toda a cadeia de abastecimento, mas também aumentar a margem de lucro.

Vida longa para as baterias

Antes de ser reciclada, cada bateria será submetida a testes específicos para determinar se pode ter uma segunda vida primeiro. Por exemplo, em sistemas móveis de armazenamento de energia, como estações de carregamento rápido ou robôs de carregamento móvel. 

O processo de reciclagem inovador, ao contrário dos que existem atualmente, não exigirá altos-fornos com alto consumo de energia. De acordo com Thomas Schmall, presidente do conselho de diretores do Volkswagen Group Components, este é "mais um passo em nossa responsabilidade sustentável de ponta a ponta pela bateria como um componente chave da mobilidade elétrica."

Volkswagen: projeto piloto de reciclagem de baterias

O sistema de reciclagem será dividido em três fases:

  • Entrega do sistema de bateria completamente descarregado e desmontado
  • Moagem das peças individuais em grânulos no moinho e secagem
  • Separação de substâncias individuais por meio de processos hidrometalúrgicos

Além de alumínio, cobre e plástico, o processo de moagem irá produzir o precioso "pó preto" contendo lítio, níquel, manganês, cobalto e grafite. Começando com isso, "Os componentes essenciais das células de bateria antigas podem ser usados ​​para produzir novo material catódico", explica Mark Möller, chefe da Unidade de Negócios de Desenvolvimento Técnico e Mobilidade Eletrônica. 

"Pela pesquisa - continua Möller - sabemos que as matérias-primas das baterias recicladas são tão eficientes quanto as novas. No futuro, pretendemos apoiar nossa produção de células de bateria com o material que recuperamos. Como a demanda por baterias e matérias-primas relacionadas aumentará drasticamente, podemos fazer bom uso de cada grama de material reciclado."