Projeto faz parte da União Europeia e será destinado à pesquisa em baterias

Após muitos contratempos, o desembarque da Tesla na Europa assume contornos interessantes. Aparentemente, a decisão de Elon Musk de construir a Gigafactory em Berlim e sua fábrica de baterias permitirá que o fabricante de Palo Alto receba até um bilhão de euros em financiamento público do governo alemão.

A operação faria parte do ambicioso plano da União Europeia de apoiar pesquisas sobre o ciclo de vida de baterias que envolvem, além da Tesla, BMW, Rimac, Stellantis e outras empresas, 12 delas italianas.

Galeria: Tesla Gigafactory 4 - Berlim

Apoio da União Europeia

Na verdade, graças à construção de um local de produção em solo da UE, a Tesla pode ter acesso a uma parte substancial dos 2,9 bilhões de euros que a UE decidiu destinar para apoiar novas tecnologias relacionadas à produção e reutilização de baterias a fim de reduzir o impacto que elas têm no meio ambiente.

De acordo com o Business Insider, Elon Musk receberá um bilhão de euros do governo alemão na esteira desse projeto. Um porta-voz do ministério da economia, no entanto, foi rápido em explicar que a quantidade exata de ajuda que a Tesla está se preparando para receber ainda não está clara.

Imagens de progresso do Tesla Gigafactory 3

Ajuda em dois níveis

O certo é que na semana passada o ministério afirmou que é verdade que Berlim decidiu disponibilizar quase um bilhão de euros, mas que essa quantia irá apoiar toda a aliança das baterias e não apenas a Tesla. É igualmente verdade, porém, que mais 1,6 bilhão de euros terá de ser adicionado a esse montante dedicado a um segundo projeto. Em suma, estamos falando de números enormes.

Em face do crescente interesse sobre a questão, entretanto, nem a Tesla nem fontes ministeriais quiseram comentar sobre o que foi dito anteriormente e os detalhes do assunto permanecem nebulosos.

Sabe-se, porém, que o auxílio estatal se somará ao do estado de Brandemburgo, que acolhe fisicamente a Gigafactory e que também contribuirá, ainda que com valores que deverão rondar os 10% desse total, para apoiar o desembarque definitivo da Tesla no Velho Continente.