100% dos veículos de passageiros e dois terços dos veículos comerciais serão totalmente elétricos até 2030

A Ford acaba de dar um grande passo em direção a um futuro totalmente elétrico. Em apenas cerca de 5 anos, meados de 2026, a Ford Europa diz que 100 por cento de seus veículos de passageiros serão zero emissão - o que significa que sua linha europeia consistirá de modelos híbridos plug-in ou totalmente elétricos. E em 2030, a empresa afirma que todas as vendas de veículos de passageiros no Velho Continente serão de veículos 100% elétricos. 

E a situação é semelhante no lado comercial. Em 2024, a linha de veículos comerciais da empresa será de modelos híbridos plug-in ou totalmente elétricos e, em 2030, espera-se que dois terços de todas as vendas comerciais sejam híbridos plug-in ou totalmente elétricos.

da esquerda Ford F-150 Electric prototype, Ford E-Transit e Ford Mustang Mach-E

Isso é parte do enorme investimento global de US$ 22 bilhões em eletrificação que a empresa anunciou no início deste mês em seu relatório financeiro do quarto trimestre. E não estamos falando de 10 ou 20 anos, é até 2025! É muito dinheiro para investir em eletrificação em apenas alguns anos. 

Além disso, a Ford Europa também voltou a ter lucro: 

"Reestruturamos com sucesso a Ford Europa e voltamos à lucratividade no quarto trimestre de 2020. Agora estamos entrando em um futuro totalmente elétrico na Europa com novos veículos expressivos e uma experiência de cliente conectada de classe mundial", disse Stuart Rowley, presidente da Ford da Europa. "Esperamos continuar nosso forte impulso este ano na Europa e permanecer no caminho certo para entregar nossa meta de uma margem de EBIT de seis por cento como parte do plano da Ford para reverter nossas operações automotivas globais." 

As vendas de veículos comerciais da Ford Europa são as melhores no continente pelo sexto ano consecutivo e são um grande fator que contribui para sua recente lucratividade. Isso se deve em parte à aliança da empresa com a Volkswagen e sua joint venture Ford Otosan. 

Ford Transit Custom PHEV será testado em Colônia, Alemanha
Ford Transit Custom PHEV será testado em Colônia, Alemanha

Parte do investimento de US$ 22 bilhões são recursos de US$ 1 bilhão na instalação de uma nova estrutura em Colônia, Alemanha, uma das maiores da Europa e sede da Ford Europa. Isso servirá para modernizar a fábrica e torná-la o Centro de Eletrificação da Ford Cologne, uma instalação para produzir exclusivamente veículos elétricos. A próxima fábrica de VEs produzirá um veículo de passageiros totalmente elétrico para o mercado local a partir de 2023. Um segundo EV está sendo considerado. 

"Nosso anúncio hoje para transformar nossas instalações em Colônia, a casa de nossas operações na Alemanha por 90 anos, é um dos mais significativos que a Ford fez em mais de uma geração. Ele sublinha nosso compromisso com a Europa e um futuro moderno com veículos elétricos no centro de nossa estratégia de crescimento", disse Rowley. 

Rowley concluiu: "Vamos oferecer uma gama excepcional de veículos eletrificados, apoiados por serviços e experiências digitais centrados no cliente, permitindo que nossos clientes nos acompanhem na jornada para um futuro totalmente elétrico, começando agora com o lançamento de todos os Mustang Mach-E elétrico. Em combinação com o nosso negócio líder de veículos comerciais, isto formará a base de um negócio da Ford com rentabilidade sustentável na Europa." 

A Ford planeja divulgar mais informações sobre as instalações de Colônia e os planos de eletrificação da empresa ainda este ano. 

Ford Kuga/Escape PHEV

Eletrificação no Brasil

Como o anúncio se refere apenas à Europa, ficamos aguardando detalhes dos planos de eletrificação da Ford para o Brasil. Ainda sem uma estratégia revelada, após o encerramento da produção local a montadora anunciou que em breve o país terá o lançamento de um veículo híbrido plug-in, que assumimos ser o Ford Escape PHEV - o 100% elétrico Mustang Mach-E também é aguardado por aqui, embora não tenha uma data oficial.

Galeria: Ford Mustang Mach-E (2021) - avaliação