Mais uma situação interessante sobre a migração da rede de revendas para o futuro de carros elétricos

Um dos principais motivos pelos quais os fabricantes de automóveis tradicionais têm dificuldades para vender veículos elétricos é o modelo ultrapassado de concessionária. No entanto, algumas marcas já estão trabalhando para mudar essa realidade.

A Cadillac informou aos seus lojistas que eles teriam que pagar uma alta taxa (US$ 200.000) para vender VEs. No entanto, não o tornou obrigatório. Em vez disso, ofereceu como alternativa pagar aos revendedores até US$ 500.000 caso eles não quisessem vender VEs. Mas agora, vamos conhecer os planos da Ford relacionados a carros elétricos e concessionárias.

Galeria: Ford Mustang Mach-E 2020

Uma matéria recente da CarsDirect chama nossa atenção para uma carta que a Ford enviou aos revendedores esta semana. Ela alerta as concessionárias associadas de que elas terão que investir US$ 35.000 (R$ 190.600) para obter a "certificação" de veículos elétricos da "próxima geração" da marca. Curiosamente, US$ 35.000 não parece um investimento tão alto assim, especialmente quando comparado com a estimativa de US$ 200.000 da Cadillac.

É bom ter em mente que os fabricantes de automóveis a combustão que realmente querem promover os carros elétricos, certamente terão que investir, reequipar, adicionar equipamentos, e a lista de mudanças é bem longa.

2022 Ford E-Transit With F-150 EV

Atualmente, o único veículo totalmente elétrico que a Ford vende nos Estados Unidos é o Mustang Mach-E. No entanto, a montadora vai lançar a F-150 totalmente elétrica no ano que vem. Visto que as picapes fazem um grande sucesso por lá, a empresa precisa ter certeza de que sua rede de concessionárias está bem preparada antes da chegada picape elétrica - e muitos outros eletrificados no futuro. 

A Ford diz que se os revendedores não obtiverem a certificação "EV de última geração", isso pode sair caro no longo prazo. Esses lojistas não terão permissão para aceitar reservas ou pedidos online de "produtos Ford EV atuais e futuros" e não terão permissão para trabalhar com o serviço de garantia para os carros elétricos. Um dos requisitos para começar a vender eletrificados é a instalação e a demonstração da capacidade de carregamento rápido de 240 volts - o prazo para a solicitação do equipamento vai até 30 de abril.

Ford Mustang Mach-E (2021) - avaliação - recarga

Considerando tudo isso, faz sentido que a maioria dos revendedores Ford pague a razoável taxa de US$ 35.000. No entanto, teremos que aguardar para ver como isso vai se desenrolar. A taxa é apenas para certificação, o que significa que todas as atualizações e equipamentos relacionados requerem investimentos adicionais? Como os fabricantes de automóveis tradicionais continuam a investir em veículos zero emissões e anunciam um futuro totalmente elétrico, esse processo deve acontecer com todos, ou pelo menos a maioria.

Galeria: Ford E-Transit 2022