Rede de materiais de construção faz parceria com a Osten Fleet para iniciar entregas 'limpas' na capital paulista

Primeira empresa do segmento de Home Center e materiais de construção no Brasil a adotar iniciativas de mobilidade sem emissões, a Telhanorte anuncia o início de entregas a domicílio com um caminhão elétrico urbano. 

Graças à parceria com a empresa de locação de veículos e gestão de frotas Osten Fleet, a rede de lojas de materiais de construção se inicia na mobilidade elétrica com apenas um veículo, que inicialmente irá atender uma unidade localizada na zona norte da capital paulista, fazendo as entregas de compras feitas pelos canais digitais.

Galeria: Caminhão elétrico Hitech-e Ecocargo

Essa decisão faz parte de um compromisso ambiental a nível global assumido pelo Saint-Gobain, o grupo francês que controla a Telhanorte no país desde 2000. A meta é reduzir globalmente as emissões de CO2 em 20% até 2025 e atingir o carbono neutro em 2050. 

"A implementação do carro elétrico ocorre em um momento em que o Grupo está focando em muitas metas sustentáveis globais e, somado a outras iniciativas, essa busca se tornar um dos desafios de cada um dos mais de 4 mil funcionários no país", afirma Michelle Oliveira, diretora de Logística da Telhanorte.

O veículo utilizado para o delivery do Telhanorte é um caminhão elétrico Hitech-e Ecocargo, que tem capacidade para transportar até 800 kg. Com proposta estritamente urbana, ele pode alcançar a velocidade máxima de 60 km/h e possui autonomia de até 150 km com uma carga, sendo que a bateria pode ser recarregada em até 6 horas com corrente alternada. 

Caminhão elétrico Hitech-e Ecocargo

A distribuidora de veículos elétricos estipulou uma meta onde a cada 100 veículos elétricos ou autônomos vendidos, irá retirar de circulação outros 100 veículos a combustão, que estejam antigos e defasados, por meio de parcerias com órgãos de trânsito, como os DETRANs e empresas de desmanche e reciclagem veicular.

Outra iniciativa é a possibilidade de efetuar a recarga dos caminhões elétricos na própria empresa ao custo anunciado de apenas R$ 7,60 para rodar 100 km.

Fonte: Exame