O CEO da marca alemã falou sobre as novas diretrizes rumo à eletrificação

Em sua trajetória rumo à mobilidade elétrica, a Audi não vai desenvolver mais novos motores de combustão interna. O CEO da marca, Markus Duesmann, fez essa afirmação ao Frankfurter Allgemeine Zeitung. Como justificativa, o executivo citou os "planos da União Europeia para um padrão de emissões Euro 7 ainda mais estrito", que são tecnicamente um desafio muito grande.

"Não desenvolveremos mais um novo motor de combustão interna, mas adaptaremos nossos motores de combustão interna existentes às novas diretrizes de emissão", disse Duesmann.

O executivo já havia interrompido projetos individuais de antemão, mas até agora a Audi não havia feito uma declaração clara sobre a retirada do desenvolvimento de novos motores.

Galeria: Audi RS e-tron GT

Além do padrão Euro 7, o compromisso geral do Grupo VW com a mobilidade elétrica também pode ter desempenhado um papel decisivo. A Audi oferece atualmente (além de uma série de híbridos plug-in) apenas dois carros elétricos, o e-tron, que ainda é baseado em uma plataforma de motor de combustão, incluindo uma versão Sportback, e o derivado do Porsche Taycan, e-tron GT. O Q4 e-tron baseado na plataforma elétrica MEB estreará em breve. 

Além disso, o novo modelo elétrico baseado na plataforma PPE com o nome de projeto Artemis está previsto para chegar ao mercado em 2024, como Duesmann confirmou no 'Volkswagen Power Day' de ontem. A Audi planeja oferecer 20 carros elétricos em cinco anos.

Audi RS e-tron GT

No que diz respeito à despedida do motor de combustão interna, vários fabricantes já definiram uma data limite para eles. O fim das vendas de carros novos com esse tipo de motor deve ocorrer já em 2030. Conseqüentemente, não faz sentido desenvolver novos motores a gasolina e diesel.

Em entrevista ao Handelsblatt (Paywall), o Diretor de Desenvolvimento da Mercedes, Markus Schäfer, indicou recentemente que a família FAME de motores de combustão interna lançada em 2016 não terá mais um sucessor. Isso significa que "a maioria dos investimentos agora podem realmente ir para a eletromobilidade", disse Schäfer. Os motores FAME incluem a série OM 654 diesel e a série M 254 a gasolina.

Schäfer também disse na entrevista que a Daimler pode querer sair da tecnologia de motores de combustão antes do anunciado anteriormente. Antes disso, a variedade de opções desse tipo de propulsão diminuirá. No entanto, a data final oficial para a venda de carros novos da Mercedes com motores de combustão interna ainda é 2039.

Siga o InsideEVs Brasil no Twitter

Siga o InsideEVs Brasil no Facebook

Siga o InsideEVs Brasil no Instagram