"Se eu tivesse freios melhores, lhe daria uma lição hoje"

Isso é o que o motorista que pilotava um NIO ES6 disse a um Nissan GT-R modificado quando não conseguiu acompanhá-lo. Mas não foi culpa do motorista, ele fez um bom trabalho ao dirigir em uma das pistas mais difíceis do mundo, mas os freios começaram a perder eficiência. 

Com pouco mais de 4 minutos de vídeo, o motorista reclamou do fading do freio. Ele explicou que tudo foi causado pelo agressivo sistema de controle de estabilidade (ESC) da NIO. Ele acionava os freios o tempo todo achando que o carro estava perdendo o controle e acabou superaquecendo-os. 

O fading do freio é um problema comum para os carros elétricos em pistas de corrida e além do corte do ESC, o alto peso dos elétricos é outro motivo. Os proprietários de Tesla que frequentam pistas geralmente trocam as pastilhas e o fluido de freio para aumentar a vida útil dos freios durante uma condução muito intensa. Se o Nio ES6 tivesse um modo de pista que desligasse completamente o ESC, os freios poderiam ter durado o tempo todo ou muito mais. 

Por volta da metade da longa volta de Nurburgring, o motorista reclama da limitação da potência, mas não recebe nenhum aviso. Um pouco mais tarde ele diz que a velocidade máxima estava limitada a 150 km/h devido à queda de potência, mas ainda assim não recebeu nenhum alerta. No entanto, a energia voltou mais adiante no vídeo, provavelmente porque a bateria esfriou.

No final do vídeo, o motorista ficou surpreso com a duração da potência máxima. Ele pensou que a bateria reduziria a energia em apenas 3 ou 4 quilômetros, mas ele não sentiu nenhuma redução de energia até cerca de 10 quilômetros. As baterias dos carros elétricos podem esquentar após longos períodos de condução intensa. A uma determinada temperatura, o carro vai reduzir a energia para proteger a bateria. 

A parte favorita do motorista sobre a pilotagem do NIO é sobre o quanto o veículo elétrico é equilibrado. Ele elogiou o acerto da suspensão e achou o Nio muito previsível: 

"Resumindo, o chassi é realmente bom porque você se sente seguro e confiante, mesmo em uma pista com mudanças de elevação tão grandes."

O Nio ES6 começou com 58 por cento (247 km) de carga da bateria e terminou a volta de Nurburgring com 124 km restantes, ou cerca de 29 por cento de carga. Para uma pequena comparação, um Tesla Model 3 Performance (em um vídeo completamente separado) iniciou o circuito de Nurburgring com 91% da bateria e terminou com 56% de carga restante. 

Siga o InsideEVs Brasil no Twitter

Siga o InsideEVs Brasil no Facebook

Siga o InsideEVs Brasil no Instagram

Galeria: NIO ES6