Nissan conduz pesquisa que derruba mitos, indicando o fim da ansiedade relacionada à autonomia

A Nissan conduziu um estudo para avaliar a satisfação dos motoristas com os carros elétricos. Com testemunhos reais, a pesquisa descobriu que os motoristas de veículos elétricos na Europa estão rodando em média 630 quilômetros a mais por ano que os motoristas de carros a combustão.

Para entender as experiências de condução e a percepção dos motoristas europeus, o estudo revelou que os proprietários de veículos elétricos estão se tornando precursores nas ruas europeias, percorrendo um total que ultrapassa os 14.200 km anuais. Fazendo uma comparação com os motoristas de carros a combustão, que rodam em média 13.600 km, esta nova pesquisa prevê um futuro promissor para a mobilidade elétrica.

Galeria: Nissan - donos de carros elétricos

"Esta pesquisa confirma que, optar por um veículo elétrico, não é apenas uma escolha inteligente, que beneficia o meio ambiente, mas também proporciona mais diversão, emoção e comodidade para os proprietários. Não é de se surpreender que os carros elétricos sejam mais usados por seus proprietários do que os dos veículos a combustão", afirma Arnaud Charpentier, Vice-Presidente de Estratégia de Produto e Preços da Nissan, Região AMIEO (África, Oriente Médio, Índia, Europa e Oceania).

"Temos certeza que, com mais veículos elétricos nas ruas, mitos estão sendo derrubados e, em breve, a ansiedade relacionada à autonomia será coisa do passado".

Entre aqueles que participaram da pesquisa, os motoristas de veículos elétricos na Itália são os que rodam mais, com uma média anual que ultrapassa os 15 mil km, seguidos de perto pelos holandeses (14.800 km), o que demonstra que aqueles que decidiram mudar se sentem à vontade ao volante de seus carros zero emissão.

A pesquisa revela ainda que a maioria (69%) dos motoristas de veículos elétricos na Europa está satisfeita com a estrutura de recarga disponível atualmente. Da mesma forma, quase um quarto deles (23%) disseram que o mito mais comum relacionado a dirigir um veículo elétrico é que a infraestrutura de recarga atual não é suficiente, indicando uma grande satisfação entre os usuários de veículos elétricos e uma oportunidade positiva para os futuros adeptos da mobilidade elétrica.

Nissan Leag V2G Alemanha

Quase a metade (47%) dos motoristas de veículos a combustão na Europa disse que a principal vantagem de um carro movido a gasolina ou diesel é a autonomia maior. Além disso, ao analisar os motivos pelos quais 30% dos proprietários europeus de veículos a combustão não pretendem ter um veículo totalmente elétrico, a maioria (58%) disse que a principal preocupação é que a motorização elétrica oferece baixa autonomia.

Uma investigação mais aprofundada dos fatores que convenceriam os motoristas a mudar revelou, como era de se esperar, que:

  • 38% dos motoristas de carros a combustão na Europa acreditam que o principal incentivo seria ter maior autonomia
  • 32% dos motoristas europeus de carros a combustão seriam atraídos pela facilidade de recarga da bateria
  • 30% observaram que ter uma melhor infraestrutura de recarga os convenceria a mudar

Mas, apesar destes resultados, uma comparação com as pessoas que já adotaram um carro elétrico demonstra que os usuários de veículos elétricos contrariam estes receios de forma convincente.

Dos atuais motoristas de veículos elétricos na Europa, 70% observaram que sua experiência com a autonomia tem sido melhor do que o esperado. Estas constatações são um forte indício de que isso não deveria ser um impedimento para os usuários de carros a combustão fazerem a mudança para a mobilidade elétrica.

Realidade distorcida

A pesquisa também revelou uma grande disparidade entre a experiência atual dos motoristas de veículos elétricos que utilizam a infraestrutura de recarga e a impressão dos usuários de carros a combustão que ainda não se beneficiam dela, destacando que seus pontos de vista são completamente diferentes.

  • 56% dos motoristas de carros a combustão na Europa, que não pensam em ter um veículo elétrico, acreditam que os pontos de recarga não são suficientes
  • 56% acreditam que os carros elétricos custam mais caro do que um modelo equivalente movido a gasolina ou diesel
  • 48% sugerem que a infraestrutura pública de recarga não é suficiente.

Por outro lado, mais de um quarto dos motoristas de veículos elétricos na Europa disseram que ficar sem carga (28%), o tempo de recarga (30%) e o preço alto dos veículos elétricos (31%) estão entre os maiores mitos da mobilidade elétrica, insinuando que a infraestrutura de recarga já desenvolvida é suficiente.

Siga o InsideEVs Brasil no Twitter

Siga o InsideEVs Brasil no Facebook

Siga o InsideEVs Brasil no Instagram

Fonte: Nissan