Governo do país asiático estipulou meta de eletrificação de 30% da frota em circulação até 2030

O Paquistão começa a dar os primeiros passos para enfrentar as mudanças climáticas e fazer a transição para a mobilidade elétrica. A exemplo da vizinha Índia, o país asiático lançou um plano para conduzir esse processo e se prepara para receber os primeiros carros elétricos em seu mercado. 

Segundo a matéria do site samaa.tv, os primeiros veículos chegarão ao Paquistão até o fim de julho por meio do grupo SZS. O aguardado M7 é na verdade uma versão rebatizada de um subcompacto chinês, sendo que o grupo responsável pela importação diz que ele se assemelha a um Suzuki Cultus ou Kia Picanto em termos de porte e desempenho.

O pequeno carro elétrico custará entre Rs2 milhões e Rs2,35 milhões (R$ 66.200 e R$ 77.800). Serão desembarcados 12 carros neste mês e mais 200 unidades em agosto, segundo Shaukat Qureshi, COO da SZS.

"Os embarques atrasaram devido ao asfixia das companhias marítimas em meio à pandemia", disse Qureshi. “Mas agora nossa primeira remessa foi enviada e chegará ao Paquistão nos próximos 20 dias. A segunda remessa virá no próximo mês."

M7 carro eletrico (1)

No entanto, o executivo não revelou o nome da empresa chinesa responsável pela produção dos carros elétricos, se limitando a dizer que a parceira tinha experiência e já exportava veículos para 34 países. 

"A importação só foi viabilizada depois que o governo reduziu a tarifa alfandegária de 25% para 10%. Com taxas alfandegárias de 25%, os carros elétricos não faziam sentido. Agora sim", concluiu. 

O governo do Paquistão, em seu esforço para combater as mudanças climáticas e com uma iniciativa para um 'Paquistão limpo e verde', estabeleceu a meta de eletrificar 30% da frota de automóveis do país até 2030. Para atingir a meta, o governo anunciou incentivos para que as empresas utilizem veículos elétricos sob a forma de redução de impostos.

O primeiro carro elétrico a chegar ao país conta com baterias de capacidade entre 7,5 kWh e 10 kWh, o que somado a um extensor de alcance (motor 1.3 ou 1.5 litro que servirá como gerador) será suficiente para uma autonomia de 260 a 300 km com uma carga - a velocidade máxima é de 70 km/h. O city car também poderá receber um painel solar instalado no teto (opcional), o que adiciona 50 km de alcance.

Fonte: Samaa via InsideEVs Rússia 


Siga o InsideEVs Brasil no Twitter

Siga o InsideEVs Brasil no Facebook

Siga o InsideEVs Brasil no Instagram