A China também está se rendendo ao hidrogênio. A GAC Motor concluiu com sucesso os testes de um motor de combustão interna a hidrogênio. Ainda não se sabe se o motor entrará em produção ou representa apenas um estudo para explorar possíveis alternativas aos carros elétricos. O que se sabe, no entanto, é que a unidade alcançou eficiência de 44%.

Para isso, os engenheiros da GAC criaram uma câmara de combustão especial, especialmente projetada para otimizar a combustão de hidrogênio, e também adotaram pistões reforçados, com grampos especiais, e hastes de conexão específicas.

hidrogenio verde (2)

Mesma receita da Toyota

Independentemente do uso real deste motor em um modelo de produção, a GAC deixou claro que continuará trabalhando na otimização de motores térmicos movidos a hidrogênio para obter um desempenho ainda melhor. Além disso, a fabricante chinesa também irá trabalhar para criar uma cadeia de abastecimento e produção de hidrogênio a partir de fontes renováveis.

A montadora, em resumo, segue o mesmo roteiro traçado pela Toyota, que além do Mirai (carro a hidrogênio com tecnologia de célula de combustível), está testando em alguns motores de corrida de duração um Toyota Corolla alimentado por um motor 1.6 turbinado que queima hidrogênio

Zero emissões

O GAC, como a maioria dos fabricantes chineses, quer fazer a transição energética para encurtar a distância em relação aos fabricantes ocidentais e já é muito ativa no segmento dos carros elétricos. Entre as iniciativas interessantes das quais se tornou protagonista apenas no último ano, mencionamos a realização do Eno 146, carro conceito com o melhor Cx do mundo, e o estudo de uma 'superbateria' de grafeno que recarrega em apenas 8 minutos.

Como se isso não bastasse, a empresa chinesa também assinou um acordo com a gigante da tecnologia Huawei e, graças a essa parceria, em 2023 a Huawei deve estrear no mundo dos carros de emissão zero com seus próprios modelos.