Mantendo a tendência, as vendas de carros híbridos e elétricos continuam crescendo no Brasil. Segundo o levantamento da ABVE - Associação Brasileira do Veículo Elétrico, os emplacamentos de veículos eletrificados cresceram 115% no país no primeiro trimestre de 2022.

Na contramão das vendas do mercado automotivo como um todo, que caíram 25% nos três primeiros meses de 2022 na comparação com o ano anterior (segundo a Fenabrave), os veículos leves eletrificados responderam por 9.844 emplacamentos, contra 4.582 no mesmo período de 2021.

Falando do mês passado, foram 3.851 emplacamentos de eletrificados, um aumento de 106% sobre março de 2021 (1.872) e de 12% sobre fevereiro de 2022 (3.435). Além disso, março foi também o terceiro melhor mês da série histórica, só superado por dezembro e agosto de 2021, (respectivamente, 4.545 e 3.873 emplacamentos).

O segmento de carros elétricos e híbridos ainda é pequeno no Brasil, mas a transição para a eletrificação ocorre de forma acelerada, como mostram os números destacados aqui. Mantendo esse ritmo, estima-se que até meados de 2022 a frota circulante de carros híbridos e elétricos no país chegará a 100.000 unidades - atualmente são 86.986 veículos.

Vale lembrar que o levantamento considera as vendas de automóveis, utilitários, SUVs e comerciais leves eletrificados, incluindo os híbridos convencionais (HEV), híbridos plug-in (PHEV) e totalmente elétricos (BEV).

Vendas por tipo de motorização

HEV (híbrido total):

  • Mar: 2.825 – 73% (de 3.851)
  • 1º tri: 6.711 – 68% (de 9.844)

PHEV (híbridos plug-in):

  • Mar: 507 – 13% (de 3.851)
  • 1º tri: 1.845 – 19% (de 9.844)

BEV (100% elétricos):

  • Mar: 519 – 13,5% (de 3.851)
  • 1º tri: 1.288 – 13% (de 9.844)
Citroen E-jumpy (2020)

Os números mostram que, apesar de avançar no Brasil, a eletrificação ainda tem a predominância nas vendas de veículos híbridos convencionais, como o Corolla e Corolla Cross. 

Esse tipo de veículo respondeu por 68% das vendas no primeiro trimestre, seguido pelos híbridos plug-in, com 19% e os 100% elétricos, respondendo por 13% do segmento de eletrificados. 

Considerando as vendas de março, pela primeira vez, os totalmente elétricos superaram os híbridos plug-in. Foram 519 BEVs emplacados no mês passado (13,5% do total de eletrificados), contra 507 PHEVs (13%).

Análise

Os resultados de vendas do primeiro trimestre de 2022 permitem tirar algumas conclusões sobre o mercado de veículos eletrificados no país. Eles mostram que o consumidor tem dado cada vez mais preferência a esse tipo de veículo e prova disso é o crescimento exponencial nas vendas, em oposição ao mercado como um todo, que registra queda.

Por outro lado, a participação nas vendas desse tipo de veículo ainda está muito abaixo do potencial do país. Adalberto Maluf, presidente da ABVE, conclui o seguinte:

“A participação de mercado dos eletrificados ainda está abaixo do potencial do país. Apenas 2,6% no primeiro trimestre. Temos de avançar muito mais. Considerando somente os veículos elétricos plug-in (BEV e PHEV), esse porcentual cai para 0,8%”.

“A segunda conclusão é que ainda estamos muito atrasados em relação às principais áreas econômicas do mundo. Na Europa, as vendas de elétricos plug-in (BEV e PHEV) chegaram a 19% do mercado em 2021. Na China, a 15%. Nos Estados Unidos, a 4%”

“Se o Brasil não se inserir fortemente nas novas cadeias produtivas globais da eletromobilidade, vai perder competitividade. As indústrias nacionais ficarão obsoletas, e os empregos do futuro serão criados nos outros países, e não aqui”.

Fonte: ABVE/Renavam