Contará com um sistema de tração integral com um motor elétrico movendo as rodas dianteiras

A McLaren experimentou carros eletrificados pela primeira vez em 2013, quando lançou o híbrido P1. Desde então, ouvimos o pessoal de Woking dizendo que a tecnologia não estava avançada o suficiente para fazer um modelo totalmente elétrico - e ainda não está, como afirma Jamie Corstophine, diretor global de marketing. Segundo o executivo, as baterias fariam com que o modelo elétrico fosse muito pesado. Então, por isso, prepara um novo carro que une o melhor dos dois mundos em uma mecânica híbrida.

Falando com a revista Car and Driver, Mike Flewitt, CEO da McLaren, revelou que a plataforma de nova geração da marca será revelada no 2º trimestre de 2020, quando também saberemos dos planos de eletrificação da empresa. O primeiro modelo deles será apresentado no final de 2020, possivelmente no Salão de Paris (França). Nos próximos quatro anos, toda a linha da empresa será eletrificada usando uma motorização híbrida plug-in que oferecerá até 32 km de autonomia elétrica.

Galeria: McLaren P1

Um dos novos modelos na agenda será um supercarro capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em cerca de 2,5 segundos, fazendo com que supere os 2,8 segundos do P1. Ainda ficamos sabendo que ele terá um sistema de tração integral, com o motor a combustão movendo as rodas traseiras e a unidade elétrica colocando sua força nas rodas dianteiras.

Apesar de falar sobre o peso de um carro elétrico, Flewitt diz que os componentes do conjunto híbrido adicionarão apenas 29,4 kg no peso total do veículo em comparação aos modelos atuais da McLaren. Isto não deve ser um problema, considerando a força extra em baixa rotação que será entregue pela mecânica híbrida.

Enquanto o motor 4.0 V8 biturbo da McLaren continuará a ser usado em todos os seus carros no futuro, a fabricante diz que trabalha em V6 mais leve e que será compatível com o sistema híbrido. Porém, ainda não há previsão de quando será lançado.