Eletrificação marca presença na reestilização meia vida do modelo alemão

Após vários flagras e vazamentos, o novo BMW Série 5 2021 finalmente é revelado. A reestilização meia-vida do sedã alemão traz um design externo ligeiramente renovado, com um estilo que o aproxima do irmão menor Série 3, novos recursos tecnológicos e, principalmente, novidades na gama de versões com trens de força híbrido leve e híbrido plug-in.  

Sem ser radicais, as mudanças estão mais evolutivas e se externamente se destacam pelos novos e elegantes conjuntos de faróis Laserlight, projetores de LED adaptativos, luzes de LEDs mais elegantes, bem como uma nova grade do duplo rim com elementos mais pronunciados e novas lanternas com luzes em "L", além de uma frente remodelada para os modelos M-Sport. São mudanças que devem dar um fôlego extra para encarar rivais como Mercedes-Benz Classe E, Audi A6 e Genesis G80.  

Internamente, há poucas mudanças de estilo, ficando os destaques por conta de atualizações tecnológicas como o novo quadro de instrumentos digital com tela de 12,3", versão atualizada do sistema de entretenimento (iDrive7) e interface revista com novo layout, gráficos de melhor qualidade e comandos mais intuitivos. 

Galeria: BMW Série 5 (2021)

Eletrificação marca presença

Atenta aos novos regulamentos sobre emissões na Europa, a BMW assumiu um compromisso mais forte com a eletrificação, equipando o Série 5 com muitas opções híbridas, incluindo as variantes híbridas leve e híbridos plug-in.

Na prática, todos os motores de quatro e seis cilindros da linha serão híbridos leves, com um gerador de 48 volts que fornecerá 11 cv extras, além de uma segunda bateria. Isso melhorará a resposta (principalmente nas saídas) e diminuirá a carga do motor a combustão.

Nas versões a gasolina a potência vai de 184 cv a 333 cv, enquanto a variante diesel tem opções que vão de 190 cv a 340 cv. Já a variante esportiva M550i xDrive, mantem o propulsor V8 de 530 cv e será a única exclusivamente à combustão. Exceto esta variante 'M', as demais versões terão o rótulo ECO da DGT.

BMW Série 5 (2021)

Em relação aos modelos híbridos plug-in começamos pelo 530e, equipado com um propulsor quatro cilindros de 184 cv e 30,6 kgfm associado a um motor elétrico de 109 cv para uma potência combinada de 292 cv, com um torque máximo de 42,8 kgfm. Este conjunto garante aceleração de 0 a 100 km/h em 5,9 segundos, com uma máxima de 235 km/h. Sua autonomia no modo elétrico será de 67 km, graças ao uso de uma bateria de 12 kWh, enquanto a velocidade máxima nessa condição é de 140 km/h

Também está disponível a versão de tração integral 530e xDrive, que naturalmente perderá um pouco da autonomia no modo zero emissões (58 km). Tanto o 530e quanto o 530e xDrive podem ter a variante sedã ou perua (Touring) - nesta última, a autonomia será de 58/62 km para o 530e e 53/56 km 530e xDrive.

Outra variante híbrida de plug-in será o 545e xDrive, disponível exclusivamente com na variação sedã. Este modelo utilizará o conhecido 6-cilindros 3.0 a gasolina, atingindo uma potência total de 394 cv e um torque de 61,1 kgfm. A autonomia, por sua vez, será de 57 km no modo elétrico. 

Dessa forma, ao todo serão cinco versões híbridas de plug-in: 530e, 530e Touring, 530e xDrive, 530e xDrive Touring e 545e xDrive, todas ostentando o adesivo DGT ZERO, pois excedem 40 km de autonomia em modo totalmente elétrico.