Era um veículo experimental, com zero emissões, projetado para a cidade.

  • Versão elétrica do Opel Kadett foi um veículo experimental e tinha autonomia de 80 km
  • Com proposta claramente urbana, modelo elétrico atingia 100 km/h de velocidade máxima

Poucos meses após chegar ao Brasil, o Kadett já explorava novas possibilidades de propulsão na Europa, onde a geração que estreou por aqui em 1989 era oferecida desde 1985. Foi no ano de 1990 que a Opel apresentou um dos vários protótipos elétricos que a marca desenvolveu ao longo dos anos e que poderíamos considerar o ancestral do novo Opel Corsa-e. Estamos falando do Opel Kadett Impuls I, baseado do Kadett regular, que nasceu como veículo experimental, focado na locomoção urbana. 

Antes do Impuls I, a Opel já havia feito pesquisas sobre eletricidade, como demonstrado pelo Opel Kadett B Stir-Lec I de 1968, que era um veículo de ampla autonomia, ou o Opel Elektro GT de 1971, que tinha dois motores elétricos, para um total de 120 CV, já capaz de atingir a máxima de 188 km/h.

Galeria: Opel Kadett Impuls I (1990)

 

Nesta ocasião, porém, falaremos apenas sobre o Opel Kadett Impuls I, já que este 2020 não tem menos de 30 anos. Uma ocasião ideal para revisar suas especificações técnicas e sua história.

Esse conceito elétrico nasceu como parte de uma investigação para descobrir a viabilidade de um veículo de emissão zero para a cidade, com a tecnologia da época. Uma das condições impostas pelos engenheiros da Opel era manter ao máximo o espaço interno e a capacidade de inicialização. O modelo alcançou um volume de carga de 330 litros em comparação com os 390 do Kadett regular. 

Opel Kadett Impuls I (1990)

O Kadett Impuls I foi desenvolvido em colaboração com a empresa de energia RWE e a fabricante de baterias SAFT, que atualmente ainda coopera com a Opel na produção de baterias.

Opel Kadett Impuls I (1990)
Opel Kadett Impuls I (1990)
Opel Kadett Impuls I (1990)

A Opel anunciou então um tempo de recarga das baterias de aproximadamente 5 horas, e a autonomia era de cerca de 80 quilômetros. Um número que atualmente parece muito baixo, se o compararmos, por exemplo, com os 330 quilômetros de autonomia certificados do Opel Corsa-e.

Graças a um peso de apenas 1.000 kg, este Impuls I foi capaz de acelerar de 0 a 50 km/h em 10,0 segundos e atingir uma velocidade máxima de 100 km/h, que, embora possa parecer modesto, é mais do que o suficiente para um modelo que, lembre-se, tem um foco claramente urbano.