Chique agora é aposentar o V8 e adotar o híbrido

Quando falamos em status e elegância, dificilmente um SUV chegará perto de um belo sedã. Aliás, um BMW Série 5 para ser mais exato, com seu porte digno de um executivo de sucesso e sobriedade para estacionar com charme e rodar pelos melhores lugares dos bairros nobres. Na verdade, até na vaga da simples garagem do meu prédio na zona norte de São Paulo ele conseguiu transformar o cenário.

Se um executivo de sucesso andava de 540i nos anos 1990, com seu V8 aspirado, os tempos agora são outros. O BMW 530e iPerformance é um híbrido discreto para os novos tempos. A não ser as plaquetas eDrive nas colunas C e o logotipo 530e, ele passa despercebido até alguém reparar na tampa no para-lama dianteiro esquerdo (que esconde a tomada de recarga) ou no silêncio que ele passa quando o motor a combustão está desligado. Estamos falando na união do motor 2.0 turbo (B48) em sua versão mais mansa (o mesmo do novo 320i), com 184 cv e 29,6 kgfm de torque, com um elétrico, instalado na transmissão, que adiciona mais 113 cv e 27 kgfm de torque, alimentado por uma bateria de 12 kWh. 

Teste - BMW 530e iPerformance
O cabeamento laranja é uma norma para carros eletrificados - indicam corrente alta no sistema.
Teste - BMW 530e iPerformance
Além do 530e, é esperado ainda este ano o 330e.

O BMW 540i que citei logo acima, da geração E39 (1995 a 2004), usava o motor M62B44, com 286 cv e 44,9 kgfm de torque em um 4.4 litros aspirado. Pois agora temos o 530e com 252 cv, 42,8 kgfm e metade dos cilindros com muito mais eficiência energética. Enquanto o clássico usava um câmbio automático de 5 marchas, aqui temos 8 marchas controladas tão suavemente que quase não percebemos seu funcionamento. 

Teste - BMW 530e iPerformance

Na verdade, conforto é a palavra-chave do 530e. Apesar do kit M Sport na carroceria, todo o acerto de suspensão e direção estão focados mais em suavidade que desempenho, apesar do 530e ser um característico carro de Autobahn (autoestradas alemãs sem limite de velocidade), com capacidade para andar em altas velocidades sem passar a impressão ou a sensação disso. Apesar da suspensão macia, ele mantém os 4,94 m de comprimento nas mãos do motorista e em total segurança. No modo 100% elétrico, o silêncio é total, algo que quase se repete quando o motor 2.0 turbo é acionado. Se não prestar atenção ou olhar nos monitores de energia, nem se percebe que ele está funcionando dependendo do modo de condução selecionado. 

Teste - BMW 530e iPerformance
Teste - BMW 530e iPerformance

Entre muitas teclas próximas da alavanca do câmbio, há algumas importantes. Se em um Série 5 somente a combustão você terá os modos Sport, Comfort e Eco Pro, no 530e existe uma tecla extra logo abaixo. O eDrive permite selecionar alguns modos de condução elétrica ou híbrida. Ele pode variar do Max eDrive, que prioriza a condução puramente elétrica, com capacidade para chegar aos 140 km/h; o Auto eDrive, que faz a melhor relação entre combustão e elétrico em busca da maior eficiência possível; e o Battery Control, que faz a recarga ou manutenção da carga das baterias a partir de uma meta selecionada pelo motorista no sistema multimídia - este com Apple CarPlay, aviso de tráfego no GPS e acompanhando um sistema de som assinado pela Harman Kardon. 

Se você possui um carregador em casa ou no trabalho, vale a pena usar o Max eDrive. Por cerca de 45 km, o 530e roda sem gastar nada de gasolina e com força para até encarar uma estrada, apesar de gastar mais rapidamente a carga. No modo Auto eDrive, o 530e marcou 24,2 km/litro de consumo na cidade, enquanto na estrada ficou com 19 km/litro. Por conta das baterias no lugar do tanque, o reservatório foi para a região do porta-malas, com 46 litros da capacidade. Ele gasta mais combustível apenas se tiver que fazer a recarga completa das baterias com o motor a combustão, outra opção que o motorista pode escolher. 

Teste - BMW 530e iPerformance

Os 252 cv e 42,8 kgfm de torque podem parecer pouco para os 1.845 kg do 530e, mas a força instantânea do motor elétrico ajuda na hora de acelerar no modo Sport. Foram 7,6 segundos para chegar aos 100 km/h em nosso teste, um bom número pelo porte do carro. Mas o melhor dele aparece ao utilizar os sistemas semi-autonômos (piloto automático adaptativo e assistente de faixas) e aproveitar o silêncio a bordo. Para ajudar na aerodinâmica, a grade dianteira tem abertura e fechamento comandado automaticamente quando ele precisa de refrigeração - motor a combustão e baterias inclusive têm circuitos independentes de arrefecimento. 

Teste - BMW 530e iPerformance

Fora a parte técnica, o 530e resgata o que é ser um sedã na plenitude. No banco traseiro, espaço de sobra pra viajar duas pessoas, ou três com uma perda leve de conforto, principalmente pelo apoio de braços embutido no encosto do banco. Mas há cortinas e saída de ar-condicionado para os ocupantes traseiros, sendo que o sistema do BMW é de duas zonas com uma particularidade no híbrido. Como o compressor usa a energia das baterias, ele pode ser configurado para atender apenas o motorista quando este estiver sozinho. Além de duas zonas com regulagem individual de temperatura, pode ser regulado individualmente também na velocidade da ventilação e no modo de operação. No porta-malas, são 410 litros de capacidade (devido ao reposicionamento do tanque de combustível), com abertura e fechamento da tampa elétricos.

Claro que isso tem um preço digno de executivo. O BMW 530e pode ser seu por R$ 388.950 e oferece como opcionais apenas as rodas de 19", como no carro aqui testado. As cores internas e externas podem ser configuradas pelo cliente, como este belo conjunto de carroceria azul escura com interior em couro marrom claro, que eleva o status de um sedã de luxo. Existe algum SUV que se imponha como este Série 5 nas ruas? Acho que não...

Fotos: Leo Fortunatti

Ficha Técnica - BMW 530e iPerformance

MOTOR

combustão: dianteiro, transversal, 4 cilindros em linha, 16 válvulas, 1.998 cm³, duplo comando de válvulas com variador na admissão e escape, injeção direta, turbo, gasolina

elétrico: traseiro na transmissão

POTÊNCIA/TORQUE

combustão: 184 cv de 5.000 a 6.500 rpm; 29,6 kgfm de 1.350 a 4.250 rpm

elétrico: 113 cv (83 kW) e 27 kgfm 

combinados: 252 cv; 42,8 kgfm de torque

TRANSMISSÃO automatico de 8 marchas, tração traseira
SUSPENSÃO independente duplo A na dianteira e traseira 
RODAS E PNEUS liga-leve aro 19" com pneus 245/40 R19 (D) e 275/35 R19 (T)
FREIOS discos ventilados na dianteira e traseira
PESO 1.845 kg em ordem de marcha
DIMENSÕES comprimento 4.936 mm, largura 1.868 mm, altura 1.483 mm, entre-eixos 2.975 mm
CAPACIDADES porta-malas 410 litros, tanque 46 litros, bateria 12 kWh
PREÇO  R$ 388.950
MEDIÇÕES MOTOR1 (gasolina)
    BMW 530e (híbrido)
  Aceleração  
  0 a 60 km/h 3,8 s
  0 a 80 km/h 5,6 s
  0 a 100 km/h 7,6 s
  Retomada  
  40 a 100 km/h em D 5,7 s
  80 a 120 km/h em D 4,7 s
  Frenagem  
  100 km/h a 0 43,2 m
  80 km/h a 0 27,1 m
  60 km/h a 0 15,0 m
  Consumo (modo Hybrid)  
  Ciclo cidade 24,2 km/litro
  Ciclo estrada 19,0 km/litro

Galeria: Teste - BMW 530e iPerformance