Hidrogênio é solução complementar à estratégia elétrica e híbrida, diz a marca

Pioneiros na oferta de sistemas elétricos de propulsão no segmento de veículos comerciais, os Renault Kangoo Z.E. e Master Z.E. terão agora mais uma exclusividade diante dos principais concorrentes. Conforme explica a marca, ambos serão oferecidos nos próximos meses no mercado europeu com extensores de autonomia movidos a hidrogênio. Com 10 kW de capacidade, os dispositivos serão programados para entrar em ação todas as vezes que a bateria de 33 kWh não for suficiente, de modo a ampliar a autonomia e garantir segurança em viagens mais longas ou uso intenso em grandes centros urbanos.

Galeria: Renault Master & Kangoo Z.E. Hydrogen

"O hidrogênio está chegando à Renault como solução complementar à estratégia elétrica e híbrida, para oferecer aos profissionais maior segurança durante uso no centro das cidades, removendo limitações de autonomia para determinadas aplicações", diz a marca em nota. "As vantagens não param por aí, pois tanto a Master Z.E. Hydrogen quanto o Kangoo Z.E. Hydrogen podem funcionar com energia descarbonizada que respeita o meio ambiente, oferecendo todo o conforto da direção elétrica", completa.

Outra vantagem do sistema é o carregamento rápido, que leva entre 5 e 10 minutos para ser realizado. No caso do Kangoo, a autonomia será ampliada de 230 km para 370 km com o extensor. Já no Master, o alcance saltará de 120 km para 350 km. No entanto, há que se analisar três desvantagens importantes: preço mais alto (comparado ao valor cobrado pelos Z.E. padrão), aumento de preço (entre 110 kg e 200 kg) e redução do espaço de carga (justamente o principal chamariz de ambos os modelos).

Os preços começam em 48.300 euros (cerca de R$ 215.000) no caso Kangoo, com vendas já neste ano. Por sua vez, o Master será oferecido a partir do primeiro semestre de 2020.

Fotos: Divulgação