Iniciativa é reunir empresas que voluntariamente assumam ações em prol do meio ambiente em parceria com o Governo de São Paulo

A Toyota do Brasil aderiu, na última sexta-feira, 29, ao Acordo de SP. A iniciativa do Governo do Estado de São Paulo tem como objetivo discutir e buscar soluções de sustentabilidade para reduzir a emissão de CO2 e gases de efeito estufa até 2030.

Com sua estratégia de produzir e comercializar em massa de veículos híbridos, a Toyota também se torna a primeira montadora de automóveis do Brasil a apresentar soluções para viabilizar o compromisso estabelecido pelo acordo.

Em nota oficial, a montadora destaca o fato dos modelos híbridos emitirem, em média, 45% menos CO2 na atmosfera do que um carro convencional. A participação como empresa membro do Acordo de SP, a Toyota também avança em sua própria estratégia de metas estabelecidas pelo Desafio Ambiental Toyota 2050, ação global da montadora que visa mitigar o impacto ambiental por meio de seis desafios. Entre eles, estão as metas 1 e 3, que pretendem produzir novos veículos com zero emissão de CO2 durante seu funcionamento e produção até o ano de 2050.

Toyota Corolla Hatchback Hybrid

"Com a introdução de novos veículos híbridos fabricados no Estado de São Paulo, nosso compromisso para 2030 é evitar a emissão de 415 mil toneladas de CO2, o que corresponde ao plantio de 3 milhões de árvores, ou o equivalente a 7 parques do Ibirapuera em área plantada", afirma Roberto Matarazzo Braun, Diretor de Relações Governamentais e Regulamentação Veicular da Toyota do Brasil.

A montadora também destaca que seus esforços em busca de novas soluções sustentáveis já vem de longa data. Em 1997, lançou a tecnologia híbrida, que combina um motor a combustão e outro elétrico. Desde então, em todo o mundo, a empresa colaborou com a redução de 77 milhões de toneladas de CO2 emitidas na atmosfera. Até o momento, foram mais de 12 milhões de veículos com motorização híbrida da Toyota comercializados no mundo.

Galeria: Toyota Corolla 2020 (BR)