Chefe da divisão de carros elétricos diz que EVs serão boa parte das novidades da marca nos próximos sete anos

A General Motors é uma das marcas que acredita muito nos carros elétricos, mesmo que só tenha um no mercado: o Chevrolet Bolt. Só que isso irá mudar a partir de 2023, quando a marca começará uma ofensiva que levará 20 veículos totalmente elétricos ao mercado global. É o que revela Rick Spina, vice-presidente da divisão de carros elétricos e autônomos da GM, em entrevista ao The Detroit Bureau.

Galeria: Chevrolet Menlo EV

"Uma grande parte de nossos produtos nos próximos três a sete anos serão veículos elétricos", disse Spina durante a entrevista. "A GM é tradicionalmente uma marca com uma linha completa, então iremos competir em todos os lugares", completa o executivo. O primeiro deles será um modelo elétrico da Cadillac, previsto para daqui a pouco mais de um ano, e a partir daí a GM começará a lançar todos os tipos de modelos elétricos.

Spina diz que a GM é uma empresa que acredita que o carro do futuro é elétrico e que ter uma plataforma dedicada é o caminho para ter produtos mais atraentes, além de reduzir custos – algo importante, já que as fabricantes ainda tem que lidar com os preços das baterias. O executivo diz que o custo dos carros elétricos já está caindo, principalmente para as baterias. Ele cita que Mark Reuss, presidente da GM, disse em outro momento que a empresa está gastando quase 15% menos por kWh do que na época do Volt. Analistas da indústria preveem que o custo por kWh, atualmente de por volta de US$ 150, pode cair para US$ 70 nos próximos cinco anos.

O executivo não quis dizer quais serão estes carros elétricos, mas já temos pistas sobre alguns. Há tempos que a Chevrolet fala sobre um SUV totalmente elétrico, que acabou antecipado pelo modelo chinês Menlo. Outro já confirmado pela empresa é uma picape totalmente elétrica, para rivalizar tanto com a futura F-150 EV quanto com a Tesla Cybertruck.