Plano é trocar os motores a diesel por versões híbridas

O plano estratégico de cinco anos da Fiat-Chrysler apresentado em 2018 tem grande foco em eletrificação, com todas as marcas da empresa recebendo motorizações híbridas. A Jeep será uma das fabricantes a adotar mais rapidamente a eletrificação de toda sua linha, com versões híbridas para todos os modelos nas ruas até 2022. Dependendo do mercado, a Jeep oferecerá sistemas híbridos comum ou plug-in.

Galeria: Jeep Renegade e Compass PHEV - Salão de Genebra 2019

Isto deve fazer com que a fabricante seja "a marca de SUVs mais verde do mundo", segundo o presidente global da Jeep, Christian Meunièr. Durante um evento da marca na Nova Zelândia (onde o executivo confirmou que Compass e Renegade híbridos farão testes no Brasil), Meunièr comentou que os modelos híbridos da empresa serão "os melhores Jeeps já feitos", ainda revelando ao site WhichCar que serão os carros mais capazes e rápidos produzidos pela marca até hoje.

Os primeiros a serem lançados serão Compass e Renegade, com um sistema híbrido plug-in e que já começaram a ser produzido em Melfi (Itália). A estreia nas lojas está prevista para o 1º semestre de 2020 e devem ser apresentados na versão final durante o Salão de Genebra (Suíça), em março, quando saberemos mais sobre sua parte técnica. Em seguida virá o Wrangler PHEV, feito na fábrica em Toledo (EUA), onde a Fiat-Chrysler investiu nada menos que US$ 160 milhões (cerca de R$ 660 milhões). Será lançado em algum momento do ano que vem.

Em 2021, a Jeep irá colocar mais versões híbridas nas ruas, com o lançamento da nova geração do Grand Cherokee e a volta do Wagoneer, com uma versão maior chamada Grand Wagoneer. Todos eles já serão apresentados com versões eletrificadas. E ainda veremos uma variante para a picape Gladiator, mas ainda sem data confirmada para estreia.

No total, o plano de cinco anos da Jeep prevê o lançamento de 10 carros híbridos plug-in e de quatro híbridos convencionais até 2022. No final deste período, a fabricante ainda vai lançar sua tecnologia autônoma de nível 3, permitindo que os carros acompanhem o trânsito e façam curvas leves automaticamente. A chegada dos modelos eletrificados também levará ao fim gradual dos motores a diesel da empresa.