Subcompacto será vendido pela Dacia em 2020 e tem autonomia de 270 km

A Renault está muito interessada em vender o City K-ZE, versão elétrica do Kwid, na Europa. Tanto é que, segundo a revista alemã Automobilwoche, a fabricante está acelerando os planos para conseguir colocar os carros na loja já em 2020. Ele fará parte da linha da Dacia e inclusive tem alguns protótipos montados, com um preço estimado de 15 mil euros (aproximadamente R$ 68,4 mil).

Galeria: Renault City K-ZE

O motivo desta pressa é a necessidade de reduzir a média de emissões de CO2 da Dacia na Europa, agora que a União Europeia tem novas regras para o segmento automotivo. E, como o preço deve ficar por volta de 15 mil euros antes de receber os incentivos de cada país, é possível que fique tão barato quanto o Sandero em alguns mercados.

Irá levar um tempo para chegar ao mercado europeu por conta do tempo de homologação e pelo fato de que o carro será importado da China, que ainda está atendendo a demanda do país e, em breve, ainda será vendido em mais países. Ainda há o problema de ter que mexer no veículo para que ele atenda às demandas de segurança mais rígidas da Europa, não só em equipamentos como também na estrutura do veículo.

Em sua forma chinesa, o Renault City K-ZE tem um motor elétrico de 42 cv e 12,7 kgfm, com velocidade máxima de 105 km/h em uma autonomia estimada em 270 km. Ela tem uma versão básica com airbag duplo, ar-condicionado e monitoramento de pressão dos pneus, mas fica devendo até limpador no vidro traseiro. Se ele for para a Europa, terá que rever a lista de equipamentos.

Renault City K-ZE
Renault City K-ZE

Na época da apresentação do versão conceitual, executivos da Renault disseram ao Motor1.com que havia planos de vender o Kwid elétrico no Brasil, mas que ele ainda estava em estudos. Caso venha, será a alternativa mais barata da marca e com um apelo, já que o Zoe parte de R$ 149.990 e pode ficar mais caro quando receber a reestilização que chega à Europa neste mês.