Perua aventureira será a primeira variante do Taycan, enquanto Macan elétrico irá conviver com versões a combustão.

A Porsche fez a sua conferência anual para olhar em tudo o que foi feito em 2019 e mostrar à imprensa e aos seus acionistas o que virá nos próximos anos. As vendas cresceram 10% para 280.800 unidades no último ano, o levou a marca a aumentar seu quadro de funcionários para 34.010, e produzir 274.463 unidades, 3% mais do que em 2018. Nos próximos quatro anos, a fabricante irá investir cerca de 10 bilhões de euros (aproximadamente R$ 54 bilhões) para eletrificar sua linha ao lançar novos modelos híbridos e totalmente elétricos. Até a metade da próxima década, a Porsche estima que metade de suas vendas serão de veículos eletrificados.

A prioridade do pessoal de Zuffenhausen é lançar a versão de produção do conceito Mission E Cross Turismo, revelado no Salão de Genebra há dois anos. Será batizado como Taycan Cross Turismo e está marcado para chegar às lojas na segunda metade de 2020, e que a perua aventureira será o primeiro derivado do Taycan.

Galeria: Porsche Mission E Cross Turismo - Salão de Genebra 2018

Nos documentos da apresentação ainda há informações sobre mais um modelo, revelando que a próxima geração do Porsche Macan terá uma versão totalmente elétrica. A fabricante diz que usará a arquitetura Premium Platform Electric e que seu lançamento está previsto para 2022, como revela Lutz Meschke, membro da diretoria da marca. A base PPE está sendo desenvolvida junto com a Audi, que deve usá-la em um modelo com tamanho e formato semelhante ao de um A5 Sportback. Ela foi criada para ser usada tanto por modelos de tração traseira com um motor elétrico no eixo quanto com tração integral e um motor em cada eixo.

Para deixar a fábrica em Leipzig pronta para a chegada do Macan elétrico, a Porsche está investindo mais de 600 milhões de euros (R$ 3,25 bilhões) na expansão do complexo. A empresa irá construir os modelos elétricos ao lado junto com seus carros a combustão, e também irá montar os eixos do crossover, ao invés de terceirizar o trabalho para uma fornecedora, como ela faz atualmente com o Macan e o Panamera.

Fonte: Porsche