Resultado é creditado ao portfólio formado em boa parte por modelos híbridos

Desde 2018 considerada uma das montadoras mais ecologicamente corretas da Europa, a Toyota faz jus ao título e repete o bom resultado também em 2019. Dados divulgados recentemente pela consultoria JATO Dynamics mostram que a fabricante emitiu a menor quantidade de gases poluentes entre todas as marcas tradicionais atuantes no mercado europeu.

Ao todo, a empresa emitiu em média 97,5 g/km de CO2, o que representa redução de 2,3 g/km em relação ao ano anterior. O resultado é creditado especialmente ao portfólio formado em boa parte por modelos híbridos. Só em 2019, a Toyota vendeu mais de 550.000 híbridos na Europa - quase 60% do total de vendas da empresa na região.

Galeria: Toyota Corolla Hatchback Hybrid

"O caso da Toyota é relevante, especialmente considerando que ela ainda não oferece carros totalmente elétricos. Mesmo assim, está em melhor posição do que seus rivais europeus que têm planos de eletrificação mais avançados", afirma o analista Felipe Munoz. A linha híbrida da Toyota na Europa é formada pelos modelos Prius, Corolla, Yaris, C-HR, RAV4 e Camry, além dos Lexus CT 200h, IS, ES, GS, LS, NX, UX e RX.

Depois da Toyota, o grupo melhor colocado no ranking de poluição é a PSA (média geral de 113,3 g/km). Por lá, a Citroën alcançou média de 106,4 g/km (redução de 1,7 g), enquanto a Peugeot ficou com 108,2 (+ 0,3). No entanto, a Opel, recém-adquirida pela conglomerado, amarga média de 124,9 g/km de CO2. Ainda entre as francesas, a Renault tem média de 113,3 g/km. Outras marcas aparecem mais abaixo, como Kia e Volkswagen, que exibem, respectivamente, 124,2 e 123,6 g/km de emissões de CO2. Como no ano passado, a Mercedes-Benz ocupa o último lugar com 140,9 g/km de CO2 liberado em média.

Peugeot 108
Volkswagen e-up! 2020

É curioso notar ainda que 16 dos 20 fabricantes da lista apresentaram tendência de alta. A explicação está no aumento das vendas de SUVs, que representam o segmento mais poluente com média de 131,5 g/km de CO2. É basicamente a mesma média do segmento de sedãs de luxo (131 g/km), cujo volume em vendas é, no entanto, muito mais limitado. Comparativamente,  sub-compactos têm média de 107,7 g/km, compactos de 115,3 e sedãs generalistas de 117,9.