Gigante do petróleo vai intensificar uso de energias renováveis para neutralizar suas emissões

Em comunicado, a Shell anunciou que pretende de se tornar uma empresa zero carbono até 2050 ou mesmo antes. Para isso, a gigante holandesa do petróleo vai vender cada vez mais "energia limpa" para neutralizar as emissões provenientes dos combustíveis líquidos.

Ben van Beurden, executivo-chefe da Shell, disse que a empresa deve se concentrar no longo prazo "mesmo neste momento de desafio imediato" causado pela pandemia do coronavírus“As expectativas da sociedade mudaram rapidamente no debate sobre as mudanças climáticas. A Shell agora precisa ir além com nossas próprias ambições, e é por isso que pretendemos ser um negócio de energia com emissões líquidas zero até 2050 ou mais cedo. A sociedade e nossos clientes não esperam nada menos ”, afirmou.

Shell fast charger

Entre as medidas que devem ser intensificadas estão a expansão nas vendas de produtos como energia renovável e biocombustíveis, e trabalhar junto com seus clientes "líquidos zero" para ajudar a compensar o impacto do carbono. Isso inclui as principais companhias aéreas, que devem ajudar a dividir o fardo dessa compensação, considerando que boa parte dos combustíveis fósseis que devem estar em uso até 2050 são os combustíveis para aviação.

Apoiando as metas do Acordo de Paris, a empresa acredita que o mundo provavelmente terá que parar de aumentar o estoque de gases de efeito estufa na atmosfera por volta de 2060. É uma meta desafiadora, uma vez que o número de pessoas no planeta aumentará cerca de um terço a partir de hoje para cerca de 10 bilhões, e os padrões de vida das pessoas terão melhorado. Porém, mesmo com uma enorme melhoria na eficiência energética, é provável que o mundo esteja usando cerca de 50% mais energia até 2060, em comparação com hoje.

Fotos: divulgação

Galeria: Teste de emissões de CO2