Marca alemã prepara uma rede global de produção de células

Seguindo a tendência de outros fabricantes de veículos elétricos, a Mercedes-Benz anunciou nesta semana um grande plano de investimento para ampliar a produção própria de células de baterias para carros elétricos. A empresa tem como objetivo estabelecer uma rede global de produção do componente e vai investir mais de 1 bilhão de euros com esta finalidade.

Esta rede de produção será composta por nove fábricas de baterias em sete locais na Europa, América do Norte e Ásia. Nesse mercado, a marca alemã rivaliza com fabricantes de peso como as parcerias da Tesla e Panasonic, a sul-coreana LG Chem, a gigante chinesa CATL da China e a alemã Northvolt, que fechou parceria com a Volkswagen.

Galeria: Mercedes-Benz EQC400 4Matic 2020 - Primeiras impressões

A subsidiária integral da Mercedes-Benz Accumotive em Kamenz, será a unidade central desta cadeia global que produz o trem de força para veículos elétricos e eletrificados da Mercedes-Benz e veículos comerciais inteligentes e leves desde 2012.

Desde a inauguração da segunda fábrica - projetada desde o início para ser CO2 neutro - entrou em operação em 2018, a Mercedes-Benz tem aumentado sucessivamente sua capacidade e volume de produção. Em breve o total anual deve exceder 500.000 sistemas de baterias para veículos híbridos, híbridos plug-in e puramente elétricos.

Mercedes-Benz - produção de baterias

Tudo isso com o objetivo de alimentar a gama elétrica que tem como meta chegar até o final de 2020 com cinco veículos elétricos a bateria e 20 veículos híbridos plug-in (PHEVs), sendo que até 2025 haverá um total de modelos 100% eletrificados no portfólio com o emblema EQ da Mercedes-Benz.

Atualmente, a gama EQ conta com o SUV elétrico EQC e a versão eletrificada da van de luxo EQV, que teve os pedidos liberados nesta semana para o mercado europeu.

Fonte: Mercedes-Benz