Estudo da Agência Internacional de Energia (AIE) mostra tendência do segmento

  • Vendas globais de carros elétricos atingiram 2,1 milhões de unidades em 2019
  • Estudo da Agência Internacional de Energia aponta aumento de participação dos veículos elétricos
  • Carros elétricos sofrerão menos os impactos da pandemia de coronavírus

O estudo anual publicado recentemente pela Agência Internacional de Energia (AIE) aponta que as vendas globais de carros elétricos em 2020 tendem a uma pequena alta ou estabilização no pior dos cenários. De acordo com a entidade, o segmento de veículos elétricos sofrerá menos os efeitos da pandemia de coronavírus do que a indústria automotiva como um todo, que deve sofrer uma retração de 15% neste ano.

Disseminação de carros elétricos

De acordo com a agência, as vendas de carros elétricos superaram o patamar de 2,1 milhões de unidades no mundo em 2019, um crescimento de 6% em relação ao ano anterior. Isso representa 2,6% das vendas globais considerando todos os tipos de propulsão e 1% do estoque mundial de veículos.

2020 Chevy Bolt EV

O aumento nas vendas globais de 6% no ano passado é um número razoável, porém muito abaixo da taxa média de crescimento anual verificada nos anos anteriores, com taxas sempre acima dos 30%. 

O menor ritmo de crescimento em 2019 se explica por alguns fatores como a revisão por parte de alguns países das políticas de incentivos: na China os subsídios foram cortados em 50% e nos Estados Unidos se encerrou o prazo dos créditos tributários federais, que favorecerem principalmente as vendas do Chevrolet Bolt e de modelos da Tesla. 

Após chegaram ao mercado na primeira metade da década, os carros elétricos dispararam nas vendas. Para ilustrar a situação, em 2010 havia apenas 17.000 carros elétricos rodando pelo mundo. Em 2019 esse número explodiu para nada menos que 7,2 milhões de unidades, sendo que 47% deles estavam na China. Hoje, mais de 20 países tem ao menos 1% da sua frota eletrificada. 

Expectativa para 2020

A analise da AIE aponta que obviamente a emergência global do coronavírus irá afetar o segmento de veículos elétricos, mas de forma menos intensa que a indústria automotiva como um todo. Enquanto o mercado de automóveis de passageiros deverá ter uma perda de 15% neste ano, os carros elétricos devem se manter estáveis e com uma leve tendência de alta nas vendas, chegando a 3% de participação no total (era 2,6% no ano passado). 

Fonte: IEA

Galeria: Chevrolet Bolt - Testado no Brasil