O CEO da Lucid, Peter Rawlinson diz que não aprecia 'aspirantes a startups'.

O CEO da Lucid, Peter Rawlinson, conversou com Brooke Crothers da Forbes sobre veículos elétricos, o Lucid Air, "aspirantes" a startups, o inferno da produção da Tesla, o processo da Nikola contra a consultoria Sue Hindenburg por acusações de fraude e a resposta de Nikola. São muitos assuntos para cobrir em uma breve entrevista, mas Rawlinson é focado e objetivo e se mantém longe de acusações e xingamentos.

Rawlinson já foi vice-presidente de engenharia de veículos da Tesla e engenheiro-chefe do Model S. Já o vice-presidente de manufatura da Lucid, Peter Hochholdinger, foi vice-presidente de produção da Tesla. Então, esses caras definitivamente têm alguma experiência e visão sobre a produção de carros elétricos.

Galeria: Lucid Air Dream Edition

Quando questionado sobre a Nikola, Rawlinson deixou claro que não falaria sobre a empresa especificamente, mas ao invés disso, o próprio tom da conversa falaria por si só. Ele falou em "aspirantes" a startups e disse que empresas que não têm nada para mostrar estão prestando um péssimo serviço ao setor. Ele afirmou:

"Eu nunca vi qualquer evidência de sua tecnologia de bateria. Eu deveria saber. Parte do meu repertório é engenharia de bateria."

"Eu era engenheiro-chefe da Tesla. Tesla era a bola da vez. Eu era o azarão. Eu estava trabalhando muito. E todo a grana estava na Fisker. Mas nós éramos o verdadeiro negócio. Liderei essa equipe e contratei a equipe que projetou o Model S."

Claramente, ele está dizendo que startups como a Nikola não são boas para veículos elétricos. A Fisker recebeu o mesmo tipo de atenção e depois falhou. Enquanto muitas pessoas estavam batendo na Tesla e alegando que a empresa era uma fraude e que iria à falência em breve, ela prevaleceu. É claro que o CEO Elon Musk sempre apregoa grandes ideias que podem nunca se tornar realidade, mas enquanto isso, a montadora está produzindo seus carros elétricos, vendendo-os em todo o mundo e lucrando muito.

Galeria: Nikola Badger picape elétrica

Depois de sair da turbulência na Tesla, Rawlinson sabia claramente o que precisava ser feito para competir e provar o valor de sua empresa. Sem falsas esperanças, sem carros falsos, sem confundir as pessoas, etc. Ele ainda diz que a Lucid não é nada até que esteja realmente produzindo veículos, mas ele está confiante de que será capaz de alcançar o objetivo. A revelação da empresa e as estratégias de marketing já são uma prova do que está por vir.

O CEO passou a falar sobre a Tesla. Ele disse que é a única montadora que ele conhece que vive um inferno na produção. Colocar os carros na linha de produção é trabalho de um fabricante de automóveis. Você nunca ouve falar da Toyota ou GM em uma situação dessas. Ele disse ainda:

"Portanto, estamos planejando o cosmos da produção, onde alguns planejam o caos da produção ... Não cabe a mim criticar a Tesla. Mas sou um observador dessas coisas e posso dizer praticamente que só existe uma montadora que tem um caos na produção."

Embora isso possa ser verdade, vários fabricantes de automóveis tiveram problemas com o desenvolvimento e produção de carros elétricos. Eles são uma espécie completamente diferente. A Tesla tem problemas e só faz elétricos. Não é nenhuma surpresa que a Volkswagen tenha tido atrasos e dificuldades com o ID.3, Hyundai e Kia têm produção limitada com EVs, e muitos outros elétricos sofreram atrasos em vários casos.

Tenha em mente que muitos fabricantes que estão produzindo veículos elétricos estão fazendo-os apenas em pequenos lotes, então não há preocupação em lidar com uma situação de "caos de produção". A Lucid, como a Tesla, é uma pequena montadora de automóveis que só produzirá elétricos. A empresa tem o caso da Tesla para aprender, bem como uma vantagem na concorrência, uma vez que está sendo administrada por ex-líderes da Tesla. Só podemos esperar que a Lucid chegue mais cedo ou mais tarde e possa provar que não existe esse "caos da produção".