Primeiro veículo elétrico com produção em série no país terá autonomia de até 500 km

Anunciado como o primeiro buggy 100% elétrico do mundo, o veículo que será comercializado em breve no Brasil pela startup eiON ficou em 3º lugar na premiação "1º Desafio Brasileiro de Inovação em Turismo" - realizado com a Organização Mundial do Turismo, Ministério do Turismo e o Wakalua Innovation Hub, primeiro polo global de inovação no setor.

O buggy elétrico da eiON já pode ser reservado no site da marca por preços a partir de R$ 119.000 (os valores podem ter descontos para frotistas, dependendo da quantidade). O veículo foi projetado inicialmente para atender o segmento turístico como resorts e locais voltados ao ecoturismo, mas passou a ter proposta mais ampla, com possibilidade de uso urbano. 

Galeria: Buggy elétrico eiON

Medindo 3,35 metros de comprimento, 1,795 metro de largura e 2,01 metros de entre-eixos, o buggy elétrico acomoda cinco ocupantes e está disponível em três versões (Econômica, Padrão e Luxo), que terão diferentes kits de bateria que irão garantir autonomia de 150, 250 e 500 km com uma carga, respectivamente. 

Na versão mais equipada, o veículo pode acelerar de 0 a 100 km/h em 8,9 segundos e alcançar a velocidade máxima de 140 km/h. Já o modelo de entrada parte da imobilidade a 100 km/h em 10,9 segundos e chega aos 110 km/h. 

Com proposta de mobilidade sustentável e baixo consumo de energia, o veículo elétrico será produzido com tecnologia 100% nacional de acordo com a startup: "Apenas as células de íons de lítio – utilizadas nas baterias – ainda não serão produzidas no país", explica o engenheiro eletricista Milton Francisco dos Santos Junior, idealizador da eiON.

A eiON possui parceiros como a fabricante de máquinas elétricas WEG e também a gaúcha FuelTech, empresa líder no segmento de tecnologia para veículos à combustão e que está de olho na tendência de converter os motores térmicos em elétricos.