Já listados em Wall Street, Li Auto, Nio e Xpeng estrearão em Hong Kong ainda este ano

Cada vez mais capitalizadas, as três empresas chinesas Li Auto, Nio e Xpeng já estão listadas na bolsa de valores de Wall Street, mas aparentemente, até o final do ano, também estarão em uma das principais bolsas asiáticas: a de Hong Kong.

De acordo com as declarações de uma fonte ligada aos fatos - que desejou manter o anonimato para não violar nenhum acordo de confidencialidade - os três grupos automotivos chineses pretendem vender um percentual de seu capital igual a cerca de 5%. O que no balanço, considerando o valor atual em Nova York, seria de aproximadamente 5 bilhões de dólares.

Galeria: Xpeng P7 EV

Um movimento bem-vindo

Li Auto, Nio e Xpeng, de 2018 até hoje, arrecadaram nada menos que 14,7 bilhões de dólares só no mercado dos EUA , sendo que nesta semana registraram um crescimento entre 3,7 e 5,3%. Questionados pela Reuters sobre o assunto, no entanto, todos se fecharam atrás de um muro de silêncio.

A vontade de abrir o capital em Hong Kong é fácil de entender: as três empresas estão investindo pesado tanto para crescer do ponto de vista tecnológico (basta olhar para a condução autônoma introduzida pela Xpeng no P7, por exemplo), e expandir sua rede de concessionárias e volumes de vendas. Isso antecipa o forte crescimento do mercado de automóveis de baixo impacto ambiental, que só na China experimentará um aumento de 40%. Significa passar de 1,8 milhão de carros para 2,5 milhões.

Além de Wall Street

"Apesar de recursos financeiros muito mais abundantes do que há um ano, as startups de elétricos ainda precisam investir pesadamente em tecnologia de próxima geração", disse Shi Ji, analista da Haitong International. "Explorar uma listagem secundária muito mais próxima de seu mercado doméstico é, portanto, uma boa jogada."

Movimento que não é novidade, como o demonstram as numerosas empresas chinesas (mesmo as que não são do setor automotivo) que, apesar de já estarem presentes na bolsa de Nova Iorque, optaram pela de Hong Kong, levantando capitais consideráveis.

Mais mercados equivalem a mais capital

A ideia, embora ainda vaga, foi levada ao ar na semana passada pelo presidente da Xpeng, Brian Gu, que disse à Reuters que "para uma empresa que trabalha para o consumidor, entrar em contato com os mercados financeiros locais é uma estratégia que no longo prazo vale a pena, devido ao fato de permitir a captação de mais recursos".

Mas ser listado em Hong Kong não é tarefa fácil. O mercado de ações, na verdade, exige que as empresas já listadas em outro lugar tenham sido financeiramente boas por pelo menos dois anos. Li Auto e Xpeng, no entanto, chegaram a Wall Street apenas em 2020 e devem, portanto, esperar pelo menos até 2022. A menos que eles solicitem uma listagem primária dupla, o que os liberaria deste prazo de dois anos.  

Siga o InsideEVs Brasil no Twitter

Siga o InsideEVs Brasil no Facebook

Siga o InsideEVs Brasil no Instagram

Galeria: NIO EC6 - Chengdu Auto Show