Após semanas de idas e vindas entre a gigante de tecnologia Twitter e o CEO da Tesla, agora é oficial: Elon Musk é dono do Twitter. Com uma oferta final de US$ 44 bilhões a um custo de US$ 54,20 por ação, Musk e o Twitter "firmaram um acordo definitivo" que lhe daria o controle do aplicativo de mídia social, transformando-o em uma empresa privada.

"O Conselho do Twitter conduziu um processo atencioso e abrangente para avaliar a proposta de Elon com um foco deliberado em valor, certeza e financiamento", disse Bret Taylor, presidente do Conselho Independente do Twitter, em comunicado. "A transação proposta fornecerá um prêmio substancial em dinheiro, e acreditamos que é o melhor caminho a seguir para os acionistas do Twitter."

Elon Musk havia planejado comprar o Twitter em 13 de abril a US$ 54,20 por ação depois de anunciar a aquisição de uma participação de 9,2% na empresa, de acordo com o The Verge e outras reportagens sobre o assunto. Mas depois que a empresa ofereceu a Musk um lugar no conselho, o negócio desmoronou, com relatos sugerindo que a venda do Twitter para Musk tinha sido abortada. Mas agora, mais de 10 dias depois, as duas partes chegaram a um acordo.

Não está claro exatamente o que Musk planejou para o site, mas o CEO da Tesla tem sido vocal em sua conta pessoal no Twitter – que tem mais de 83 milhões de seguidores – sobre possíveis mudanças no aplicativo. Um botão "editar" parece ser uma grande prioridade, bem como implementar alterações no Twitter Blue e aceitar formas de Criptomoeda como pagamento. 

Musk, em seu tweet mais recente antes do anúncio oficial, diz: "Espero que ainda mais críticos ruins permaneçam no Twitter, porque é isso que significa liberdade de expressão".