Entre 2010 e 2020, não houve um único fabricante de automóveis que igualasse o progresso que a Volvo fez. Livre da escravidão da Ford e do inesquecível Premier Auto Group, a montadora sueca começou a década com novos proprietários chineses e nunca mais olhou para trás, lançando uma série de modelos novos e bem-sucedidos que adotaram plugues antes de entrarem na moda.

A Volvo está tentando igualar esse progresso nesta nova década, adotando uma abordagem igualmente voltada para o futuro para a eletrificação, lançando uma marca dedicada a carros eletrificados, a Polestar. Enquanto seu primeiro produto, o híbrido plug-in Polestar 1 recebeu ótimas críticas por seu estilo e desempenho, o Polestar 2 totalmente elétrico é a primeira prova de fogo da marca e os nossos amigos do Moto1.com EUA avaliaram o modelo.  

Galeria: Avaliação: Polestar 2 elétrico

Polestar é uma marca própria com um logotipo dedicado e conteúdo exclusivo, mas nem o PS2 nem seu irmão de duas portas se afastam da linguagem de design tradicional e minimalista da 'marca mãe'. Para os desinformados, este carro é sim um Volvo e cativa por isso. A superfície de metal esticada complementa as dimensões compactas, enquanto os designers da Polestar fizeram pequenos ajustes nas sugestões de design tradicionais da Volvo na parte dianteira e traseira.

A grade hexagonal é apenas um ligeiro desvio da tradicional cascata retangular da Volvo, mas a Polestar substituiu os cromados usados pela empresa-mãe por apliques pretos quadrados. Os faróis mantêm a assinatura do martelo de Thor, mas adotam um design geral mais estreito e expressivo que se adapta melhor ao porte compacto do PS2. Na traseira, uma faixa de LEDs se junta às seções inferiores das lanternas em forma de C, dando a impressão de que a traseira do carro parece mais alta do que realmente é.

Polestar 2 - interior e acabamento
Polestar 2 - interior e acabamento

A cabine do PS2 é uma mistura de elementos. Elogiamos a decisão da montadora de equipar este carro elétrico com estofamento e acabamento interno sem produtos de origem animal, mas gostaríamos que houvesse um pouco menos da indústria do petróleo. O plástico rígido é o material predominante no painel, nas laterais do alto console central e nos painéis das portas. O design semelhante ao de um cockpit, por sua vez, é agradável e moderno, remetendo aos Volvos modernos ao mesmo tempo que adiciona toques Polestar, como a sofisticada alavanca de câmbio. Os principais pontos de contato - como os bancos e o seletor - são adequadamente premium, mas não são impressionantes o suficiente para ofuscar o excesso de plásticos. 

Apesar da altura do PS2, sentar no banco do motorista envolve uma certa manobra. Você fica em uma posição muita baixa nesta cabine, um efeito que o console central alto e a linha da cintura exacerbam. Mas a posição do assento em si é excelente e os bancos dianteiros fornecem bastante apoio. O estofamento amigo do meio ambiente parece uma roupa de mergulho premium, mas é mais permeável do que materiais semelhantes oferecidos por marcas como Ford e Subaru - testar um carro em um verão no Michigan geralmente nos deixa com vontade de ter bancos ventilados, mas não é o caso aqui. O banco traseiro é um ótimo lugar para dois adultos, com bastante espaço para as pernas e para os pés.

Há 86,1 cm de espaço para as pernas atrás (no Tesla Model 3 são 89,4 cm). Certamente vale a pena ter isso em mente se você estiver transportando passageiros regularmente, mas 3 cm não é uma grande diferença de uma forma geral. Um benefício maior, em nossa opinião, é a facilidade de entrada e saída do Polestar - a altura de rodagem e a generosa linha do teto tornam a segunda fileira muito fácil de entrar e sair.

Polestar 2 - fotos externas

Nosso Polestar 2 não trazia o Performance Package (freios Brembo, amortecedores Ohlins ajustáveis ​​e rodas de 20"), mas provavelmente seria melhor. A configuração padrão da suspensão parece muito firme e intransigente. Buracos e imperfeições regularmente marcam presença na cabine, perturbando os ocupantes. A estabilidade geral do PS2 em estradas irregulares é admirável, mas existem carros elétricos mais confortáveis ​​por aí. Existem outros mais silenciosos também. Enquanto o Polestar 2 exibe um excelente controle de ruído do vento, há muito barulho de rodagem dos pneus, então seus ouvidos sofrerão tanto quanto suas costas.

O Polestar 2 consegue alguns pontos positivos com amplo espaço para objetos. Há um console central de tamanho considerável, um par de porta-copos bem posicionados, um grande cubículo que apresenta uma base para recarga carga sem fio quase inútil e compartimentos das portas na medida certa. Há um pequeno frunk onde você pode guardar um cabo de carga, enquanto o porta-malas oferece 405 litros de capacidade. Isso é um pouco menos do que o Tesla Model 3 (424 litros), mas o compartimento do Polestar é mais fácil de acessar graças ao design liftback.

O Polestar 2 é o primeiro modelo a utilizar o Android Automotive OS, uma versão específica do veículo do sistema operacional Android encontrado em milhões de smartphones. Mesmo sendo um fiel do iPhone, este autor se familiarizou com o sistema facilmente. Mas nem tudo foi tranquilo.

Polestar 2 - porta-malas
Polestar 2 - detalhes

No dia em que o PS2 chegou, fiz um passeio de 64 km e em nenhum momento o sistema GPS do veículo foi capaz de descobrir onde ele estava. Mesmo depois de estacionar, desligar e reiniciar, a navegação achou que eu estava 32 km a leste da minha localização real. No dia seguinte, quando fiz o percurso misto usual de 137 km, o sistema não conseguiu encontrar um sinal LTE. Isso teria sido um pequeno aborrecimento, mas a Polestar usa a integração do Spotify em favor do rádio por satélite (por enquanto), e o serviço é inútil sem um sinal de celular.

No terceiro dia do meu empréstimo de quatro dias, estava tudo bem. A integração do Spotify é muito boa e fácil de navegar, com buffer mínimo durante o streaming. A navegação também é inteligente e precisa, respondendo prontamente às mudanças de curso. Passar pelas várias telas é rápido e os gráficos na tela de 11" sensível ao toque orientada para retrato são adoráveis. E, finalmente, o nível geral de organização dos menus é fácil de aprender.

Como mencionamos acima, a almofada de carregamento sem fio é basicamente inútil. Isso porque até o mais leve solavanco, do qual haverá muitos, interrompe a delicada conexão entre o telefone e o carro. Não conseguimos mais de dois minutos de carga para fora da base antes que uma mensagem piscasse no display central avisando que não estávamos mais carregando. Combine isso com portas USB-C que são difíceis de encontrar - elas estão inclinadas para a frente do carro e usam tampas emborrachadas, tornando-as impossíveis de serem vistas do assento do motorista - e o PS2 é surpreendentemente hostil para o smartphone moderno.

Na época da avaliação a Polestar ainda não havia lançado um PS2 monomotor, e o único modelo disponível inclui um motor elétrico em cada eixo. Você terá à disposição 413 cv e 67,3 kgfm de torque aqui (o mesmo conjunto do Volvo XC40 P8 à venda no Brasil), o suficiente para levar o PS2 aos 96 km/h em 4,5 segundos. Os fãs da Tesla podem zombar desse número, já que ambos os Model 3 de motor duplo são mais rápidos (4,2 segundos para o Long Range e um incrível 3,1 para o Performance).

Polestar 2 - fotos externas

O PS2 parece muito mais rápido do que qualquer carro de 4,5 segundos que já dirigimos. Há uma entrega de torque imediato (o que esperamos em todo carro elétrico) que realmente não desaparece até que você esteja bem ao norte das velocidades das rodovias. Um amigo que dirigia um Audi TTS teve dificuldade em nos acompanhar quando saíamos de um semáforo ou durante as paradas na rodovia.

A decisão da Polestar de dar aos Polestar 2 uma altura de rodagem elevada tem um impacto perceptível no comportamento em curvas. Estamos presumindo que a decisão de instalar uma suspensão ultra-rígida foi tentar mitigar o centro de gravidade mais alto, mas o resultado é uma direção com muita rolagem, com pouco benefício geral nas curvas. Há muito pouco feedback da suspensão ou da direção, esta última sendo muito leve. No lado positivo, o abaixamento e o mergulho são toleráveis, apesar da altura. Ainda assim, caso se tratasse de uma competição em curva, optaríamos por um Model 3 (e ficaríamos muito mais confortáveis ​ logo de cara).

Nosso PS2 vem de fábrica com o conceituado conjunto Pilot Assist de equipamentos de segurança ativa e é tão eficiente aqui como em qualquer Volvo que testamos anteriormente. A ativação é muito fácil: toque no botão direcional no raio direito para alternar do controle de cruzeiro padrão para o Pilot Assist e pressione para cima ou para baixo para definir uma velocidade e fazer ajustes. A partir daí, os computadores aliviam consideravelmente a carga.

Na rodovia, o Pilot Assist é um dos líderes do segmento, mantendo-se na pista com naturalidade e dosando muito bem a aceleração. Essa combinação de comportamento previsível e facilidade de ativação é exatamente o que queremos de um sistema de segurança ativa.

A agência norte-americana EPA homologa o Polestar 2 de motor duplo para 375 km de alcance e consumo equivalente a 92 mpge (milha por galão combinado). Nossa rota de teste de 136 km nos viu ir daquele número inicial para cerca de 240 km de alcance em condições de chuva e temperatura confortável ​​de 24 graus. Dito isso, a tela Driver Performance do PS2 oferece informações limitadas sobre a eficiência, com um gráfico de difícil leitura. Descobrir a eficiência do PS2 pode ser um desafio.

Carregá-lo, entretanto, não é. A bateria de íon de lítio de 78 quilowatts-hora (75 kWh efetivos) pode consumir elétrons a uma taxa de 150 kW com um carregador rápido DC, o que levará o carro a 80 por cento em cerca de 40 minutos. Nosso carregador Grizzl-E Classic e seu soquete associado de 240 volts / 40 A carregaram completamente em cerca de oito horas.

O alcance e a taxa de carregamento do PS2 são, para ser franco, bem medianos. Isso é bom o suficiente para este que vos escreve, mas vale a pena ressaltar que o Model 3 tem uma vantagem de alcance de 195 km e pode recarregar a uma taxa de 250 kW com a versão mais recente do Supercharger da Tesla. Da mesma forma, o Ford Mustang Mach-E - novamente, não um concorrente direto, mas perto o suficiente - está disponível com tração nas quatro rodas e até 434 km de autonomia.

O preço inicial do Polestar 2 é de US$ 61.200 / R$ 332.000 (incluindo US$ 1.300 de frete). Dito isso, este veículo elétrico de quatro portas é elegível para o crédito de imposto de renda federal de US$ 7.500 / R$ 40.700, além de quaisquer incentivos estaduais ou locais. Mas não importa como você o divida, o preço do PS2 é bastante salgado.

Mais uma vez, comparação com um Tesla. Um Model 3 Long Range com motor duplo custa a partir de US$ 49.990 / R$ 271.800 e, até onde sabemos, não vem com nenhuma cobrança de frete. A Tesla ficou sem os créditos de imposto de renda há muito tempo, mas o Model 3 ainda é a escolha mais acessível. Igualmente atraentes são o Mustang Mach-E e o Volkswagen ID.4. Um Mach-E Premium que cobre 435 km começa em US$ 56.400 / R$ 307.000 antes dos incentivos, enquanto o VW de motor duplo custará US$ 44.870 / R$ 244.000 (incluindo o frete de US$ 1.175).

O PS2 é um bom carro elétrico de quatro portas, mas seu preço inicial relativamente alto e autonomia um tanto limitada o tornam um custo/benefício bastante baixo. O modelo equipado com motor único entregará uma melhor combinação de preço e autonomia.

Polestar 2 2021

Motor elétrico 2 motores elétricos de imã permanete
Potência e torque 413 cavalos / 67,3 kgfm
Suspensão Tração integral
Bateria 78-kWh íon-lítio
Retomada 4.5 segundos
Velocidade Máxima 205 km/h
Autonomia elétrica 375 km
Tipo de tomada AC 9.6 kW-40 Amp / DC 150 kW
Tempo de recarga 8 horas / 40 minutos (até 80%)
Peso 2.120 kg
Lugares 5
Capacidades 405 litros
Preço de entrada US$ 59,900 + US$ 1,300 frete
Trim Base Price US$ 61,200
Preço como testado US$ 62,400