Número representa 15% da força de trabalho da marca na Alemanha

Apesar do lado positivo gerado principalmente pelo avanço tecnológico e pela redução dos índices de poluição, a eletrificação da indústria terá desvantagens consideráveis em questões relacionadas à mão-de-obra. Prova disso é o anúncio recente da Audi quanto à demissão de aproximadamente 9.500 funcionários em suas operações na Alemanha até 2025, número que representa aproximadamente 15% de toda a força de trabalho da empresa no país. O objetivo, segundo informado, é reestruturar toda a cadeia produtiva e fazer a transição para a fabricação de carros elétricos.

Galeria: Audi e-tron Sportback

A Audi disse ainda que as demissões ocorrerão através da rotatividade de funcionários e de um "novo e atraente programa de aposentadoria antecipada". Além do setor produtivo, o pessoal da administração também será afetado. Por outro lado, a marca está oferecendo 2.000 novas posições, que serão criadas para especialistas em mobilidade elétrica e digitalização.

“A empresa deve se tornar enxuta e apta para o futuro, o que significa que alguns perfis de trabalho não serão mais necessários e novos serão criados. É por isso que a Audi está investindo sistematicamente em medidas de qualificação orientadas para o futuro para os funcionários e, portanto, no futuro dos dois locais na Alemanha", disse em nota.