"Tecnologia de baterias exige mais desenvolvimento", justificou executivo-chefe

Apesar do atraso de alguns anos em relação às previsões iniciais, o lançamento de um veículo 100% elétrico segue firme e forte dentro da Ferrari. Em entrevista concedida recentemente, Louis Camilleri, executivo-chefe da marca, confirmou que o aguardado superesportivo EV não chegará ao mercado ao final de 2022, como imaginado anteriormente, mas está com lugar garantido no calendário de lançamentos da empresa em 2025. O atraso se deve à preocupação da companhia quanto ao nível desenvolvimento da tecnologia de de baterias. "A tecnologia das baterias ainda não está onde deveria estar", justificou Camilleri.

Galeria: Ferrari SF90 Stradale

“Ainda existem questões significativas em termos de autonomia, em termos de velocidade de recarga. Então, eventualmente, sairemos com um. Mas é pós-2025. Não no curto prazo ”, acrescentou. Até lá, a previsão é concentrar atenção no lançamento de modelos híbridos como a SF 90 Stradale, o primeiro do tipo com produção em série lançado pela marca. Camilleri diz que deseja concentrar 60% das vendas da Ferrari unicamente em modelos híbridos até 2022. Há também planos para outros tipos de tecnologias alternativas, incluindo hidrogênio e biocombustíveis. "Estamos tentando ver qual seria o caminho mais eficiente e eficaz para nossa visão de futuro", disse.

Ao mesmo tempo em que planeja o futuro, a Ferrari também colhe bons frutos no presente. No mês passado, a marca elevou sua previsão de ganhos para 1,27 bilhão de euros e disse que espera crescimento forte para 2020. "Estamos prestes a fechar mais um ano recorde, fizemos muito bem em todas as áreas, volume, receita, fluxo de caixa. Então você verá muitos rostos sorridentes por aqui ”, comemorou Camilleri.