A montadora também fornecerá células de combustível e baterias Ultium para a Nikola.

A Nikola Badger já tem um parceiro de produção. Não será a FCA, como esperávamos e nem um fornecedor de fabricação independente, como a Magna Steyr. A empresa responsável pela produção da picape elétrica será a General Motors. Ou GM, se preferir.

O acordo entre as empresas vai além da fabricação de caminhonetes. A Badger usará as novas baterias Ultium da GM. Mais do que isso, os caminhões elétricos Nikola One, Two e Tre terão a tecnologia de célula de combustível Hydrotec da GM em todo o mundo, exceto na Europa. A Nikola não fala sobre os motivos, mas provavelmente tem outra negociação em andamento para as células de combustível Tre.

Galeria: Nikola Badger picape elétrica

A GM também se tornará um dos investidores da Nikola com uma participação de 11 por cento (US$ 2 bilhões) na nova empresa como um pagamento pelo que eles chamam de "contribuições em espécie". Esses serviços incluem a engenharia, validação e homologação da Badger tanto para sua versão elétrica pura quanto para a variante FCEV (células de combustível). 

A Nikola espera economizar US$ 1 bilhão em custos de engenharia e validação, bem como US$ 4 bilhões em custos de bateria e trem de força em dez anos. A GM também acredita que se beneficiará não apenas da valorização do patrimônio, mas também de outras sinergias, como contratos de fornecimento para baterias e células de combustível, bem como créditos de veículos elétricos. Em outras palavras, todos os "créditos regulatórios" que a Nikola conseguir provavelmente terão a GM como seu principal cliente.

Nikola Tre

Leia o que Mary Barra, CEO da GM, disse sobre a parceria:

"Esta parceria estratégica com a Nikola, um disruptor líder do setor, continua a implantação mais ampla da nova linha de baterias Ultium da General Motors e dos sistemas de célula de combustível Hydrotec. Estamos aumentando nossa presença em vários segmentos de EV de alto volume ao mesmo tempo em que construímos escala para reduzir os custos de bateria e célula de combustível e aumentar a lucratividade. Além disso, a aplicação das soluções de tecnologia eletrificada da General Motors à classe de veículos comerciais pesados ​​é outro passo importante para cumprir nossa visão de um futuro com zero emissões."

A Nikola ainda planeja entregar a caminhonete até o final de 2022. O utilitário será produzido em uma fábrica da GM que ainda não foi divulgada. 

Nikola Alkaline Electrolyzers Will Generate 40 Tons Of Hydrogen A Day

Embora Trevor Milton comemore o negócio, isso nos faz pensar que papel terá a Nikola no desenvolvimento de seus veículos. A Badger não será apenas uma picape elétrica GM com outra aparência? O que a diferencia dos futuros produtos da GM, como a GMC Hummer? 

Se você acredita que a versão FCEV do Badger fará essa diferença, lembre-se que a GM fornecerá as células de combustível e as baterias. O que o impedirá de aplicar a mesma solução em suas picapes elétricas? Poderíamos ter um GMC Hummer a hidrogênio, não é mesmo?

Dito isso, por que as pessoas prefeririam comprar um Badger da Nikola em vez de um GMC Hummer da GM? Quantas concessionárias Nikola existirão em comparação com a rede de concessionárias com a qual a GM pode contar? 

Isso desenha uma perspectiva totalmente nova sobre o negócio principal de Nikola. Em vez de ganhar dinheiro com a venda de seus veículos, provavelmente terá lucro com a rede de hidrogênio limpo que pretende estabelecer com acordos de PPA. Nesse sentido, quanto mais FCEVs precisarem de hidrogênio, melhor.

Isso explicaria o acordo com a GM? A Nikola vai se concentrar no mercado de caminhões classe 7/8, onde não enfrentará concorrência da GM? Junte-se à discussão conosco nos comentários abaixo ou na seção Nikola do Fórum InsideEVs.